John Grisham estréia na literatura de não-ficção

O próximo thriller de John Grisham terá um novo ponto de partida: será tudo verdade. O autor de A Firma, O Cliente e outros best sellers está escrevendo um livro de não-ficção, seu primeiro, sobre um homem condenado à pena de morte que quase morreu, por um crime que não cometeu.O livro ainda não tem título, mas será lançado em 2006. "É uma história natural para John contar", disse Stephen Rubin, presidente editor da Doubleday Broadway, em declaração. "Tem muitos dos temas presentes nos livros dele - suspense judicial, pena de morte, condenação errada e até mesmo beisebol. É um thriller judicial verdadeiro". De acordo com a Doubleday, Grisham pensou no livro depois de ler o obituário de Ronald Keith Williamson, um promissor atleta do começo dos anos 1970 da Oakland Athletics. Em 1986, ele foi preso pelo estupro e assassinato de uma mulher de 21 anos de Oklahoma. Williamson foi condenado. Ele estava há alguns dias de sua execução, em 1999, quando um exame de DNA provou sua inocência. Williamson morreu de cirrose hepática em 2004, aos 51 anos."Nem em meus maiores momentos criativos eu poderia imaginar uma história tão persuasiva como a de Ron Williamson", disse Grisham em uma declaração. Ele não será o primeiro escritor de romances de tribunais a se aventurar na não-ficção. Scott Turow, cujos best sellers incluem Acima de Qualquer Suspeita e O Ônus da Prova, escreveu a não-ficção Ultimate Punishment (a punição final), uma análise da pena de morte publicada em 2003.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.