Imagem Fábio Porchat
Colunista
Fábio Porchat
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Jogos

Eu adoro jogos. De 15 em 15 dias reúno amigos na minha casa para uma jogatina. E jogos dos mais variados. Ninguém vai lá pra casa pra jogar um “simples” War, não... Varamos as madrugadas aos berros por conta da euforia da partida e rindo muito. Todos, instantaneamente, voltam a ter 10 anos. 

Fábio Porchat, O Estado de S. Paulo

26 Julho 2015 | 02h00

Acho que os livros de colorir devem dar uma sensação semelhante, a de voltar no tempo. Nunca fui de colorir, pintava sempre fora do limite das linhas e me irritava. Aos 32 anos (recém-completados), sempre que posso, me dou ao luxo de voltar a ser criança.

Aqui, em São Paulo, descobri dois lugares fantásticos para quem gosta desse tipo de diversão. Um é um bar chamado Ludus Luderia. Fica aberto até tarde nos finais de semana, o que pra mim é ótimo porque estou em cartaz com duas peças lá no Shopping Frei Caneca (jabazinho básico) e sempre saio tarde. Lá, são mais de 800 tipos diferentes de jogos. Há um cardápio de comida e um de jogos. Os garçons também são divididos. Uns auxiliam na escolha do sanduíche outros na escolha da brincadeira.

Você pode pedir um jogo mais cerebral, ou um mais agitado que gere discórdia. Eles tem desde gamão e Imagem e Ação, até jogos raros que você só encontra na Bélgica e nunca ouviu falar. Um prédio de 3 andares, sempre lotado (tem que marcar hora) e todo mundo ali com um mesmo objetivo: jogar! E não é só molecada que vai lá não, pessoal de 40 e 50 anos marca presença também.

Outra atração aqui em SP é o Escape 60. Uma espécie de Caça ao Tesouro para adultos. Um “Jogos Mortais” em que a única diferença é que você não morre no final. Uma sala temática onde o objetivo final é conseguir escapar dela em 60 minutos. Só 15% das pessoas que tentam conseguem. É dificílimo. E divertidíssimo. Numa delas, um cela de prisão, você precisa achar as senhas dos cadeados que ao serem abertos revelam dicas que vão te deixando mais perto da fuga.

Em Budapeste, são 120 salas do tipo. Aqui no Brasil, isso está apenas começando e SP está sendo pioneira! São seis salas nesse lugar e uma num outro chamado Puzzle Room. E todas elas abriram não tem nem um mês. Um laboratório, um cofre, um quarto de hotel, uma galeria de arte, são histórias diferentes em cada sala.

Eu fiquei viciado. Já fui em quatro salas e só escapei de uma. Você vai em grupo (até 8 pessoas) e todos jogam juntos. Fui com meu pai, minha madrinha, minha namorada, amigos, veio gente do Rio... É uma brincadeira para adultos de todas as idades. (Não vou falar a idade do meu pai aqui senão ele me deserda)

O lugar também está lotado até o fim de agosto, precisa agendar com antecedência. Nessas férias, deixe a criança dentro de você se divertir um pouco, caia de boca nos jogos. Ou, vá ao cinema assistir ao meu novo filme Meu Passado me Condena 2, que já atingiu 2 milhões de espectadores! Enfim, divirta-se!

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.