João Falcão assina sucessor de "Os Normais"

O mistério da sucessão de Os Normais acabou. Ontem, após três meses de suspense, a Globo finalmente definiu quem fica com a vaga de Rui e Vani, a dupla cômica vivida por Fernanda Torres e Luís Fernando Guimarães no seriado. Quem esperava por uma troca de casais, errou. O inédito Bernardo e Carol, assinado por Bruno Mazzeo, permanece na geladeira da emissora. A partir do dia 17 de outubro, o dono das noites de sexta é o diretor pernambucano João Falcão, do núcleo de Guel Arraes. E agora chegou a vez do clube do Bolinha. "Escrevi um sitcom sobre o universo masculino. O nome deverá ser Sexta Sem Lei, mas ainda é provisório", conta Falcão. "O tom será mais livre do que o de Sex and the City. Mas vai existir uma história em comum, para ligar todos os personagens". Por "tom mais livre" entenda-se personagens fantásticos com pouca - ou nenhuma - pretensão de realidade. "Os atores vão interpretar todos os tipos que aparecerem nas histórias, inclusive mulheres", diz Falcão. "Montei uma espécie de revista, com matérias e flashes. Tudo feito com muito humor, claro." O elenco fixo já está definido. Falcão recrutou Bruno Garcia, Lázaro Ramos, Selton Mello e Wagner Moura, seus eternos queridinhos. "Conheço o trabalho deles e gosto bastante. Já fizemos outras parcerias", diz. Mello e Garcia estão em Lisbela e o Prisioneiro, filme de Guel Arraes, com trilha sonora assinada por Falcão. Moura e Ramos vieram de Homem-Objeto, peça que o diretor transformou em quadro para o Fantástico, em abril. "Depois de passar os últimos dois anos tocando projetos de teatro, resolvi mergulhar totalmente na tevê", conta. "Estou bastante empolgado, pois sei que a repercussão do veículo é muito grande." O entusiasmo de Falcão pela telinha está só começando. O diretor já anunciou que também quer escrever uma novela. "Seria algo inspirado em Vale Tudo, com muito drama de consciência", diz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.