Jô Soares quer candidatar-se à ABL

Após o término da cerimônia de saudação a Jorge Amado da Academia Brasileira de Letras que ocorre nesta tarde, na sede da entidade, no Rio de Janeiro, estará oficialmente vaga a cadeira do escritor baiano morto na segunda-feira de parada cárdio-respiratória. Jorge Amado foi cremado ontem e suas cinzas foram entregues à família, que deve espalhá-las ao pé da mangueira plantada no quintal da casa onde o escritor morava, no bairro do Rio Vermelho, em Salvador.A cerimônia da ABL é aguardada pois a disputa pela cadeira do escritor começou antes mesmo de a vaga ser declarada aberta. O apresentador Jô Soares declarou hoje à rádio CBN que pretende candidatar-se e concorrer juntamente com os nomes já cotados ao posto como Paulo Coelho, dom Eugênio Sales e Antonio Torres, entre outros. Jô Soares disse também que aceita retirar sua candidatura se a viúva do escritor, Zélia Gattai, declarar sua intenção de ocupar a cadeira do marido. Jorge Amado ocupava a cadeira de número 23, a mesma que pertenceu ao escritor Machado de Assis, fundador da Academia, o que dá outro rumo à disputa.

Agencia Estado,

09 de agosto de 2001 | 18h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.