J.K. Rowling briga em aeroporto pelos originais do livro

J.K.Rowling, autora da série Harry Potter, embarcava em Nova Iorque com o original do último episódio do romance quando foi impedida de embarcar com sua bagagem de mão. Como o peso da bagagem estava em excesso, agentes da companhia aérea sugeriram que os manuscritos fossem embarcados separadamente da autora. Depois de uma acalorada discussão, Rowling obteve a permissão para levá-los a bordo. "Se eles não fossem comigo, eu iria de barco", afirmou a autora.O impedimento, segundo a própria autora, se deu devido às novas medidas de segurança tomadas pelos Estados Unidos depois da tentativa de ataque terrorista do dia 10 de agosto, na Inglaterra. Mas dentro da pasta estavam os manuscritos da sétima e última parte do romance Harry Potter, a última parte da saga que já vendeu milhões de exemplares em todo o mundo. A discussão durou alguns minutos e terminou com a permissão para que a autora entrasse com os papéis dentro do avião.O fato aconteceu em agosto, mas a autora só noticiou nesta quinta-feira, em seu site na internet. "As medidas de segurança reforçadas para as companhias aéreas fizeram com que minha viagem de volta de Nova Iorque tenha sido muito interessante, já que me neguei a separar-me dos manuscritos do último livro", descreveu a autora no site."Boa parte do texto foi escrito à mão e eu não tinha nenhuma cópia do que escrevi durante minha estada nos Estados Unidos", acrescentou. A autora afirmou também que se não tivessem permitido que ela embarcasse com os papéis, não sabe o que teria feito para voltar a Inglaterra. "Provavelmente teria voltado de barco", afirmou.Rowling esteve em Nova Iorque para participar de uma leitura em benefício a obras humanitárias, junto com alguns colegas norte-americanos como John Irving e Stephen King.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.