Fábio Motta/ AE
Fábio Motta/ AE

Jim Carrey divulga 'Os Pinguins do Papai' no Rio

Ator chegou ao Rio de Janeiro no final de semana para falar de comédia que estreia na sexta-feira

AE, Agência Estado

28 Junho 2011 | 11h29

Uma semana depois de receber os atores Josh Duhamel e Rosie Huntington-Whiteley e o diretor Michael Bay, que vieram ao Brasil para divulgar o filme "Transformers: O Lado Oculto da Lua", agora foi a vez de Jim Carrey, 49 anos, visitar o Rio de Janeiro para divulgar seu novo longa: "Os Pinguins do Papai", que estreia nesta sexta-feira. No filme, ele é um empresário que herda seis pinguins e tem de cuidar deles em seu apartamento em Nova York.

Carrey chegou ao País no domingo. Ontem, concedeu entrevista coletiva no Copacabana Palace, onde ficou hospedado. Hoje, o ator nascido no Canadá deverá participar da pré-estreia no Cinépolis Lagoon, na Lagoa Rodrigo de Freitas. Bem-humorado, ele chegou ao local da entrevista fazendo graça e dançando. "Da próxima vez que vier ao Brasil, quero visitar a Amazônia, ir ao coração da floresta", declarou. Carrey revelou, ainda, que, antes de voltar para os Estados Unidos, gostaria de visitar o Pão de Açúcar e a praia de Ipanema. "Quero ver se eu acho essa tal garota de Ipanema que vocês tanto cantam".

O ator frisou que desde criança tem vontade de visitar o Rio. "Quando estava na escola, fiz uma maquete da cidade para um trabalho. Domingo, quando estava no Cristo Redentor, lembrei disso", contou. "No momento em que me virei para olhar a estátua, os turistas ficaram em silêncio. Quando me virei novamente, vi vários flashes das câmeras e rostos felizes atrás delas. Foi lindo".

Este não é o primeiro filme no qual Carrey atua ao lado de animais. Em "Ace Ventura" (1994), por exemplo, o ator contracenou com golfinhos. Desta vez, são aves e robôs. "Tive de andar com várias sardinhas e pedaços de peixe no bolso. Só assim para os pinguins me seguirem", revelou. Além dos animais reais, foram usados pinguins robôs. "Como celulares e aparelhos eletrônicos provocavam interferências nos robôs, foi mais fácil com os animais reais".

O longa é baseado no livro homônimo, lançado em 1938. Carrey disse que modificou o roteiro, para deixar o longa com sua cara e mais engraçado. "O livro traz uma boa ideia. Mas queria dar meu toque pessoal e deixar o filme ainda mais leve, indicado para as crianças mais novas". Ontem, Carrey foi almoçar com o brasileiro Rodrigo Santoro, com quem contracenou em "O Golpista do Ano" (2009). As informações são do Jornal da Tarde.

Mais conteúdo sobre:
cinema Jim Carrey Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.