Jesus nu em chocolate deixa católicos indignados em NY

Uma escultura em tamanho natural de Jesus, nu, feita de chocolate, provocou fortes protestos de lideranças católicas, e uma galeria de arte de Manhattan decidiu cancelar a sua exibição, prevista inicialmente para a Semana Santa.A escultura Meu Doce Senhor, de Cosimo Cavallaro, seria exibida duas horas por dia durante a próxima semana numa vitrine ao nível da rua da galeria Roger Smith Lab Gallery, no Midtown de Manhattan.A exposição começaria na segunda-feira, alguns dias antes da Sexta-Feira Santa, quando os cristãos lembram a crucifixão de Jesus. Mas os protestos levaram ao cancelamento."Nós provocamos o cancelamento da exibição e desejamos reafirmar a dignidade e a responsabilidade do hotel em todos os seus negócios", disse James Knowles, presidente do Roger Smith Hotel, ligado à galeria, em um comunicado. A Liga Católica dos Direitos Religiosos e Civis havia conclamado um boicote ao Hotel Roger Smith e, para isso, escreveu para 500 organizações religiosas e seculares."Nós estamos muito satisfeitos com a notícia. Nós ficamos contentes que eles tenham retomado o bom senso", disse Kiera McCaffrey, diretora de comunicações da liga, que se descreve como o maior grupo católico de defesa dos direitos civis nos Estados Unidos.AgressãoAntes, ela havia classificado a obra de "uma agressão aos cristãos: "Nunca ousariam fazer algo semelhante com uma estátua de chocolate do profeta Maomé nu, com sua genitália exposta, durante o Ramadã".O arcebispo de Nova York havia descrito a escultura como "escandalosa" e "nojenta"."A comunidade católica foi alertada para esta ofensa a nossa fé. Isto é algo que não vamos esquecer", disse o cardeal Edward Egan em comunicado.Semler disse que o hotel não tivera conhecimento do que a galeria planejava exibir. Falou também que a obra não é irreverente."A intenção dela é ser uma reflexão sobre a Semana Santa", disse Semler sobre a escultura, que mostra Jesus como se estivesse sobre a cruz. O domingo de Páscoa é comemorado como o dia da ressurreição de Jesus.Uma foto da obra no web site do artista mostra a escultura suspensa no ar.Não é a primeira vez que ocorrem choques entre arte e religião em Nova York.Em 1999, o então prefeito Rudolph Giuliani ameaçou suspender as verbas do Museu de Arte do Brooklyn em função de uma pintura que mostrava a Virgem Maria como mulher negra salpicada de estrume de elefante e adornada com recortes de revistas pornográficas.O prefeito atual, Michael Bloomberg, está adotando uma abordagem diferente."Se você quer dar publicidade a um sujeito, fale sobre isso, faça uma grande confusão", disse o prefeito à rádio WABC. "Se você quiser prejudicá-lo realmente, não preste atenção."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.