Jerry Hall fala sobre Luciana Gimenez

A modelo texana Jerry Hall parece estar saindo de um longo inferno astral, depois de ter a vida devassada pela imprensa nos dois últimos anos por causa do caso extraconjugal de seu marido (hoje ex) Mick Jagger com a modelo brasileira Luciana Gimenez. Jerry, agora, se prepara para substituir a atriz Kathleen Turner na polêmica peça The Graduate, que conta a história de mulher de meia idade que seduz um jovem. Em entrevista ao jornal britânico The Sunday Times, Jerry se diz "mais feliz" depois do divórcio que deu fim à união de 20 anos entre ela e o vocalista dos Rolling Stones. E chega a afirmar que não vai impedir seus filhos, os que teve com o roqueiro, de conhecer o bebê Lucas, resultado do affair entre Jagger e Luciana. "Eu não tenho nada contra e já disse ao Mick que pode apresentá-lo às crianças quando quiser", afirmou. Jerry, porém, desabafou pela primeira vez suas mágoas sobre o romance mantido pelo ex-marido com a brasileira. "Toda semana estávamos no jornal, sofri humilhação pública e frustração amorosa", afirmou. "A gota d´água foi quando meus filhos começaram a adotar um tom de desrespeito comigo. Daí, achei que estava dando um péssimo exemplo a eles." Parafraseando a famosa canção dos Stones, Satisfaction, ela diz que Jagger, de 56 anos, não consegue encontrar "satisfação em seus numerosos romances". Durante o casamento, o cantor teve diversos casos extraconjugais e Jerry parecia não se importar, até que a modelo Luciana Gimenez anunciou ao mundo sua gravidez. Na entrevista, Jerry Hall se diz orgulhosa de continuar amiga de Jagger, mesmo depois do fim do casamento. O cantor comprou a casa vizinha à dela e, segundo um jornal britânico, ofereceu-se para cuidar das crianças enquanto ela estiver ensaiando para a peça. "Ele leva as crianças à escola, ajuda com a lição e brinca com elas", diz. O que deu errado então? "Ele não era compromissado e eu tolerei a situação por muito tempo. Foi minha culpa também." Apesar dos dissabores na vida pessoal, Jerry, aos 43 anos, pretende dar novo rumo à carreira e se prepara para interpretar Mrs. Robinson em The Graduate, encenação que causou polêmica ao mostrar a quarentona Kathleen Turner nua nos palcos londrinos - apesar de sua experiência como atriz de teatro ser limitada. Seu papel mais marcante no cinema foi o de namorada do Coringa (Jack Nicholson) em Batman. No teatro, trabalhou só em Bus Stop, como uma cantora de cabaré. E a crítica não lhe foi muito favorável. Apesar do currículo fraco, Jerry bateu atrizes como Sharon Stone e Sigourney Weaver na disputa pelo papel principal da peça. Modesta, disse que os "deuses das artes" deveriam estar brilhando para ela, que deve interpretar a protagonista de The Graduate só no próximo semestre. A história de Mrs. Robinson teve filmagem clássica em 1967, com A Primeira Noite de Um Homem, com Anne Bancroft vivendo o papel da mulher madura que seduz um jovem, interpretado por Dustin Hoffman. "A coisa estranha de atuar é que você tem de explorar algo dentro de você que seja parecido com o personagem. Mrs. Robinson tem muito ódio reprimido. Eu também vesti uma máscara por anos", afirma Jerry. "Fiquei um pouco à sombra de Mick. Mas, com esse trabalho, estou recuperando minha identidade e auto-estima." Anorexia - Na entrevista ao The Sunday Times, Jerry Hall também comentou a decisão dos editores de revistas britânicas, a partir de um pedido do governo inglês, em adotar um código de não mais mostrar imagens de modelos esqueléticas nas páginas das revistas femininas. "Eles estão no caminho errado, não é assim que se acaba com uma doença mental como a anorexia." Diferente de outras modelos, que têm carreira curta, Jerry esteve no topo por 20 anos. Seu segredo? "Sempre tratei bem os fotógrafos", revela.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.