Jennifer Lopez reinou no Pop Music Festival

Uma apoteose digna da Broadway, com bailarinos de cartolas e suspensórios, além de dançarinas com plumas, abriu o show de Jennifer Lopez, que primou pelo apelo visual mais do que pela música em si - essa também uma premissa básica da música pop. Atração principal do Pop Music Festival, no sábado, na Arena Anhembi, em São Paulo, a cantora e atriz americana de raízes porto-riquenhas, de 42 anos, que atualmente é jurada do reality "American Idol" e realiza sua primeira turnê internacional, era aguardada por cerca de 15 mil pessoas.

AE, Agência Estado

25 de junho de 2012 | 11h21

Antes dela, Kelly Clarkson, fruto da primeira temporada justamente do "Idol", embalava o público e se emocionava com a adesão que seus hits ganhavam, em um coro choroso. O contraste na espera por J-Lo era claro: Clarkson, no palco, estava de calça jeans, uma camisetinha justa que evidenciava ora ou outra um físico nada excepcional. A compensação veio na simpatia e em sua afinação. "São Paulo, vocês são minha maior plateia", disse a loirinha.

Depois, com um leve atraso, às 23h25, Jennifer Lopez foi anunciada em um vídeo no telão em que, fazendo a diva em seu camarim, se aprontava antes de seguir rumo ao palco. Quando surgiu, no topo de uma pirâmide de dançarinos, com pose de rainha, ostentava turbante e casaco de peles, que logo seriam deixados de lado para exibir um macacão collant sexy de brilhantes, que evidenciava os seios e, principalmente, o famoso derrière.

No começo energético, com "Get Right", hit dançante de 2004, ela mostrou lembrar bem da coreografia, rodeada de seus bailarinos musculosos. Para manter o pique, emendou outra famosa coreografada, "My Love Don''t Cost a Thing", fresca na memória do público. Mantendo o clima festivo, atualizou o repertório com "I?m Into You", gravada no recente disco "Love?" (2011), que ganhou ares de axé. Logo, Jennifer se resguardava com um dos hits mais famosos, "Waiting For Tonight", de 1999. Erguida e carregada por bailarinos, foi disputada em uma coreografia mais lenta, sensual - e que fatalmente remeteu a Britney Spears quando J-Lo arriscou uma rastejadinha no palco.

Um estouro de fumaça marcou a primeira saída do palco da cantora. Ela ressurgiria com uma capa dourada, no estilo lutadora, com um top e uma calça largona. "I?m Going In" ganhou uma coreografia, e a essa hora já não havia preocupação em ajeitar o microfone e fazer uma mea culpa no playback, escancaradíssimo. Quando o público, então, fez um coro de "popozuda", Jennifer Lopez se rendeu. Riu e deu uma sambadinha.

"All I Have", de 2002, com o rapper LL Cool J, viria antes de "Jenny From The Block", música icônica na carreira, ainda do começo dos anos 2000 e que tinha o ator Ben Affleck no videoclipe, seu namorado na época. Mas a nostalgia logo acabou com a segunda saída da moçoila do palco, e pareceu a hora de ela mostrar ao mundo o novo amor. No telão, Jennifer Lopez e Casper Smart, o atual namorado, surgiram lado a lado e trocaram olhares. Após outra troca de roupa, voltou tocando atabaque, de calça e chapéu. Mas logo revelou o verdadeiro figurino, um maiô preto com transparências, cantando "Let?s Get Loud". A ovação imediata trouxe "On The Floor", versão recauchutada de lambada do grupo Kaoma dos anos 1990. Era o adeus fajuto de um espetáculo tão ensaiado que até o bis teve uma roupa específica. Em outro macacão collant, J-Lo voltou e, com ela, veio Casper Smart. Os dois protagonizaram uma coreografia sensual para "Dance Again". Um marketing extra de bônus, mas que nem precisava. O público estava satisfeito com sua 1h20 de show.

Tanto que muita gente nem esperou até que Paris Hilton fizesse seu grand finale. À 1h25, a carismática socialite americana surgiu detrás de uma mesa de DJ e começou sua festa com Rihanna. O Pop Music Festival, que também teve Michel Teló e Cobra Starship, faz jus ao nome e, celebrando a essência do pop, se encerrou como uma grande balada. As informações são do Jornal da Tarde.

Tudo o que sabemos sobre:
músicafestival

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.