Jeísa Chiminazzo estréia no circuito fashion europeu

Aos 16 anos, Jeísa Chiminazzo percorreu mais quilômetros de passarela do que muitas colegas próximas da aposentadoria - o que, em se tratando de modelos, ocorre por volta dos vinte e alguns. A top gaúcha é uma das mais requisitadas pelos estilistas da São Paulo Fashion Week e só não contabiliza quilometragem maior porque somente este ano, aos três de carreira, pôde estrear nas temporadas oficiais de Paris e Milão."Nesses países as meninas têm que ter no mínimo 16 para desfilar", explica a proprietária da agência L´Equipe, Lica Kohmrausch, feliz com a incursão bem-sucedida de sua pupila no circuito europeu. Liberada para subir no salto, Jeísa fechou participação no desfile de 14 das grifes internacionais que integram, até sábado, a programação da Semana de Moda parisiense.Foi escolhida para apresentar as coleções verão 2002 de Louis Vuitton, Chloé, Christian Lacroix e Cacharel, entre outras marcas poderosas. Com a Dior, além do contrato de passarela, assinou também um de publicidade: a partir de janeiro próximo poderá ser vista na campanha mundial do perfume I Love Dior.Sardenta, 1,77 m, descendente de italianos, a nova garota nacional não tem um tipo muito brasileiro. "Tem cara de gringa", dispara Lica Kohmrausch. Talvez por isso tenha caído no gosto do mercado estrangeiro - que depois de um duradouro flerte com as brasileiras bandeou-se para as beldades belgas."Esse raciocínio é válido em parte. Hoje, a conduta de uma modelo pesa, para que ela seja ou não selecionada, o mesmo que sua aparência física", opina Lica. "A Jeísa é extremamente profissional. Sabe se vestir de acordo com cada teste de que vai participar. Atitudes como essa contam pontos a seu favor." Fluente em inglês e italiano, a top pretende ser atriz - "por volta dos 25" -, mas, por hora, tem planos de aprender francês. Mais tarde, irá tomar aulas de interpretação na Actor´s Studio, em Nova York, a escola em que Marlon Brando se formou. A julgar por sua obstinação - tornou-se modelo por ter certeza de "levar jeito para a coisa" e matricular-se num curso em Muçum, sua cidade natal, de apenas 2 mil habitantes - Jeísa pode vir a transformar-se numa grande atriz.

Agencia Estado,

11 de outubro de 2001 | 10h50

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.