Danny Moloshok/Reuters
Danny Moloshok/Reuters

Jean-Claude Van Damme salva a vida de Raya, chihuahua com passaporte falso

Cadelinha enviada da Bulgária à Noruega estava ameaçada de eutanásia, mas a estrela belga de Hollywood interveio em seu favor

Agências, AFP

19 de outubro de 2020 | 17h46


SÓFIA, BULGÁRIA - A intervenção do ator belga Jean-Claude Van Damme permitiu salvar a vida de uma cadelinha enviada da Bulgária à Noruega com um "passaporte falso", afirmou uma associação de defesa dos animais nesta segunda-feira, 19.

"Ela se chama Raya e não pôde ser registrada devido ao passaporte falso. Por isso, a Noruega ameaçou aplicar a eutanásia se Sofia (autoridades búlgaras) não se responsabilizasse por ela", explicou à AFP Yavor Guetchev, da associação Vier Pfoten ("Quatro Patas").

Mas seu comprador norueguês lançou uma petição na internet que chamou a atenção da estrela belga de Hollywood.

"Para o meu aniversário, peço às autoridades (búlgaras): mudem vossa decisão (...). Não podem matar essa pequena chihuaha", pediu Van Damme neste fim de semana em um vídeo compartilhado nas redes sociais.

 


Por fim, a Bulgária, que justificou sua decisão pelas estritas regras sanitárias da União Europeia, as quais proíbem a entrada no território de animais vivos com documentos de viagem irregulares, decidiu abrir uma exceção e aceitar o retorno de Raya.

"Devemos parabenizar as autoridades búlgaras por serem flexíveis, mas elas precisam exercer um controle mais rígido sobre a criação clandestina e as redes ilegais de comércio de animais", afirmou Guetchev.

 


Vários países da Europa central e oriental, como Eslováquia, Hungria e Bulgária, se especializaram na criação de cachorros de raça, que depois são vendidos na Europa ocidental, explicou o responsável da associação.

Comprar um chihuahua é dez vezes mais caro na Noruega do que na Bulgária, onde o tráfico ilegal de animais prevalece.

A história da cadelinha Raya lembra a da vaca Penka, que por um erro cruzou a fronteira com a Sérvia e teria que ser sacrificada em maio por ter abandonado o território da União Europeia. Mas este animal conseguiu salvar sua vida após uma campanha de solidariedade do cantor britânico Paul McCartney.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.