JAZZQue venha logo o Speed Samba Jazz número cinco

HAMLETO STAMATO

O Estado de S.Paulo

16 Fevereiro 2013 | 02h10

Speed samba jazz 4

Selo: Delira

Preço médio: R$ 19,90

ÓTIMO

Nenhum dilema neste Hamleto. O sobrenome, em italiano, dá a chave: stà matto = está louco. Louco para tocar. Filho de Hamleto, que tocou sax e flauta com o Hermeto, filho de 1968 (fez 45 anos no dia 2), filho de Bebedouro, São Paulo, íntimo do piano desde os cinco anos, improvisa, arranja e compõe como poucos. Carioca há 30 anos, adotou também o som da bossa instrumental, bebeu na fonte do Tamba Trio, Milton Banana Trio, Tenório Jr e Luizinho Eça. Deste, o CD traz o genial The Dolphin - inspirado num golfinho que Luizinho (só ele) viu ao entardecer na Lagoa, quando tocava no Chiko's Bar, e se tornou um favorito de Bill Evans: ouçam suas nove takes nas sessões completas da Verve. Speed samba jazz cheira a algo hi-tech e é isso mesmo: uma máquina de som, acionada por um power trio entrosadíssimo, com Ney Conceição (baixo) e Erivelton Silva (bateria). Mas a técnica prodigiosa está sempre a serviço da emoção. Standards do jazz (Softly As In A Morning Sunrise, Close Your Eyes, If I Were A Bell), do pop (The Look of Love, de Bacharach; Seascape, de Johnny Mandel), Meditação de Jobim, competem com dois originais de Hamleto: Na Lapa e Temalu, este com o violino de Leo Ortiz. Que venha logo o speed samba jazz 5... / ROBERTO MUGGIATI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.