JAZZBennett em bons momentos da década de 1970

TONY BENNETT

O Estado de S.Paulo

09 de março de 2013 | 02h12

AS TIME GOES BY

Universal

Preço médio: R$ 27,90

BOM

Já disse Frank Sinatra (1915-1998) que há joias do cancioneiro americano que superam o rótulo de standards e merecem o status de clássicos. "The Voice" gravou um punhado deles, em interpretações que nunca perdem a validade. Outro grande cantor contemporâneo dele, Tony Bennet (foto), não ficou atrás. A compilação As Time Goes By - Great American Songbook Classics é evidência das mais prazerosas disso. As gravações são de meados da década de 1970, quando Bennett estava em absoluta forma vocal, rompeu com a gravadora Columbia e criou selo próprio, o Improv, pelo qual lançou dois álbuns com o soberbo pianista Bill Evans (1929-1980), dedicou outros dois à dupla Richard Rodgers e Lorenz Hart (dos quais se destacam aqui Blue Moon, The Lady Is a Tramp e This Can't Be Love), interpretou Duke Ellington (Reflections) e Henry Mancini (Days of Wine and Roses), entre outros gigantes. Além das citadas, o CD compilado daqueles discos de 1972 a 1977 inclui medley de nove canções de Cole Porter e a indefectível I Left My Heart in San Francisco, em gravação ao vivo. É pena que a coletânea tenha apenas 12 faixas. / LAURO LISBOA GARCIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.