Javier Sierra, escritor espanhol

O espanhol Javier Sierra (foto) é um grande colecionador de fatos e mistérios. Escreve ficção histórica e não ficção, já foi publicado em 43 países e vendeu quase 4 milhões de livros no mundo, A Ceia Secreta, seu maior sucesso, está esgotado no Brasil e deve ser relançado pela Planeta. Ele veio ao País para o lançamento de O Anjo Perdido, que sai por aqui pela mesma editora.

O Estado de S.Paulo

26 de novembro de 2011 | 03h09

Como se tornar um best-seller?

Contando histórias universais sobre grandes temas como amor, morte e espiritualidade. Arquétipos e conflitos são bem-vindos. Outro segredo: escrever um livro muito bom, ganhar um prêmio e investir o dinheiro na pesquisa para o próximo livro.

O que está escrevendo agora?

Acabei de voltar dos Estados Unidos, onde entrevistei Neil Armstrong e outros astronautas para um livro que devo começar em fevereiro. A nova geração nunca sentiu a emoção da primeira exploração e pretendo escrever um livro épico envolvendo astronautas e a questão "estamos sozinhos?"

Algum interesse especial pelo Brasil?

O Brasil é um país virgem e tudo pode ser descoberto. Muito me intriga a era da navegação. Encontrei no Mapa de Piri Reis a exata localização do Rio Amazonas. Mas o mapa é de 1513 e os espanhóis só chegaram ao Peru, onde o rio nasce, depois de 1532. Este é um grande mistério e deve estar num livro futuro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.