Kyodo/ Reuters
Kyodo/ Reuters

Japão escolhe o caractere kanji ('denso') para definir o ano do coronavírus

A expressão, popularizada pela governadora de Tóquio, Yuriko Koike, rapidamente viralizou nas redes e inspirou mangás, temas de música e até um videogame

AFP, Redação

14 de dezembro de 2020 | 09h47

"Mitsu", um caractere (kanji) que no Japão se tornou o lema do que é preciso evitar em tempos de pandemia - as aglomerações -, foi escolhido nesta segunda-feira, 14, como a palavra do ano de 2020 por votação popular. 

A expressão ficou em primeiro lugar com 14% dos votos, de um total de 208 mil, durante um concurso organizado anualmente por uma fundação para promover os kanji - caracteres chineses usados na escrita japonesa.

Embora esteja passando por uma onda preocupante, a covid-19 teve uma incidência relativamente baixa no Japão até o momento, em comparação com outras regiões do mundo. Com isso, o país conseguiu evitar confinamentos obrigatórios.

Em vez disso, os habitantes foram convidados a evitar locais, ou horários, lotados, um preceito de distância física sintetizado com o caractere "mitsu". 

A expressão, popularizada desde o final de março pela governadora de Tóquio, Yuriko Koike, rapidamente viralizou nas redes e inspirou mangás, temas de música "techno" e até um videogame. 

Como de costume, as emissoras de televisão do país transmitiram ao vivo o anúncio da escolha do caractere do ano, traçado com um pincel por um monge do templo Kiyomizu de Kioto (oeste). 

Seguindo as recomendações do governo para evitar situações de aglomeração, os cidadãos japoneses em geral "se comportaram tendo o termo 'mitsu' sempre em mente", comentou a fundação que promove os caracteres "kanji".

A maioria dos dez primeiros "kanjis" escolhidos em 2020 se referem à pandemia do coronavírus.

 

Tudo o que sabemos sobre:
coronavírusJapão [Ásia]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.