James Dean e Chaplin, na matinê

Loucuras na Idade Média

LUIZ CARLOS MERTEN, O Estado de S.Paulo

13 de julho de 2012 | 03h12

16H05 NA GLOBO

(Black Knight). EUA, 2001. Direção de Gil Junger, com Martin Lawrence, Marsha Thomason, Tom Wilkinson, Vincent Regan, Daryl Mitchell, Michael Burgess.

Funcionário de um parque temático com atrações medievais viaja no tempo e vai parar na época dos torneios de liça. Martin Lawrence, num papel sob medida para ele, lança a dúvida - a trama é real ou a aventura é sonhada? Com o comediante, sempre se pode divertir - um pouco, pelo menos. Reprise, colorido, 95 min.

Jogos de um Psicopata

22H30 NA REDETV!

(House). EUA, 2008. Direção Robby Henson, com Michael Madsen, JP Davis, Pawel Delag, Heidi Dippold, Leslie Easterbrook, Julie Ann Emery.

Dois casais caem na estrada, o carro sofre uma pane e eles pedem ajuda numa casa que se revela a armadilha perfeita. Para complicar, o quarteto já vinha sendo perseguido por um assassino. Terror on the road. Não tem nada a ver com Na Estrada, que Walter Salles adaptou do livro cult de Jack Kerouac e também estreia hoje. Mas, se for colocar o pé na estrada, faça-o com o filme em cartaz nos cinemas. Reprise, colorido, 88 min.

Rádio Auriverde

22H30 NA TV BRASIL

Brasil, 1991. Direção de Sylvio Back.

Diretor de filmes importantes - ficções e documentários -, Sylvio Back provocou polêmica e virou alvo da ira dos antigos integrantes da FEB por esse relato sobre as aventuras da Força Expedicionária Brasileira na Itália, durante a Segunda Guerra. Back não leva o heroísmo a sério e usa a rádio do título para deixar isso bem claro. Seu filme não é para todos os gostos, mas merece revisão, como toda a sua obra. Reprise, colorido, 66 min.

Free Willy: A Grande Fuga

22H45 NO SBT

(Free Willy: Escape From Pirate's Cove). EUA, 2009. Direção de Will Geiger, com Beau Bridges, Bindi Irwin, Siyabulela Ramba, Matthew Dylan Roberts .

Episódio meio extemporâneo da série. Passa-se na África do Sul, onde garotinha está em viagem de férias, no decadente parque de diversões do avô. Um bebê de orca encalha na praia próximo e Kirra, nome da heroína, vai fazer de tudo para salvá-lo. Não espere grande coisa. Reprise, colorido, 100 min.

Oito ou Oitenta - Alguma Coisa Começou Aqui

0 H NA CULTURA

Brasil, 2009. Direção de Lucas Bambozzi e Rodrigo Minelli, doc.

A cena artística de Belo Horizonte, nos anos 1980. Quem era quem na música, no cinema, no vídeo e nas artes plásticas. Reprise, colorido, 2009.

TV PAGA

Flechas de Fogo

11H30 NO TELECINE CULT

(Broken Arrowe). EUA, 1950. Direção de Delmer Daves, com James Stewart, Jeff Chandler, Debra Paget, Will Geer, Arthur Hunnicutt.

Antes da sua série com Glenn Ford, o diretor Daves fez esse western que foi pioneiro na humanização dos peles-vermelhas em Hollywood. James Stewart faz o guia que tenta evitar o confronto entre brancos e índios. Daves sabia sobre o que falava. Quando jovem, ele passou uma temporada entre autênticas tribos numa reserva do Arizona. Veio daí o seu conhecimento sobre o Oeste, que ele aplicou em filmes de uma verossimilhança tão grande que era chamado de 'documentarista do western'. Reprise, colorido, 93 min.

Juventude Transviada

14 H NO MAX

(Rebel Without a Cause). EUA, 1955. Direção de Nicholas Ray, com James Dean, Natalie Wood, Sal Mineo, Dennis Hopper, Jim Backus.

Embora já tivesse aparecido em outros filmes, James Dean deve sua fama a três clássicos de Hollywood no biênio 1955-56 - Vidas Amargas, de Elia Kazan; o cartaz de hoje da TV paga; e Assim Caminha a Humanidade, de George Stevens. Quando o terceiro estreou, ele já havia morrido num acidente de carro, o que só fez aumentar o mito. Ele se chama aqui Jim Stark e, ao contrário do que sugere o título original - Rebelde sem Causa, ou sem Motivo -, o diretor Ray não faz outra coisa senão tentar apresentar justificativas para o desajuste social e emocional do seu jovem herói. Jim vive trocando de cidade (e de escola). Os pais não o compreendem nem os professores. Ele forma uma família ideal com Natalie Wood e com Sal Mineo, no papel de Plato, garoto que o idolatra. É um dos grandes filmes de Ray e com certeza contribuiu - muito - para que Jimmy Dean virasse a representação do jovem transviado, que permanece mais de 60 anos após sua morte prematura. Reprise, colorido,. 111 min.

Tempos Modernos

18H20 NO TELECINE CULT

(Modern Times). EUA, 1935. Direção e interpretação de Charles Chaplin, com Paulette Goddard.

Chaplin resistiu quanto pode ao avanço tecnológico que fez o cinema falar (desde o fim dos anos 1920). Aqui, ele já começava a ceder e há uma cena engraçadíssima em que o protagonista fala muito e diz coisas sem sentido. O próprio Chaplin não é mais Carlitos, embora o personagem ainda tenha muito do vagabundo. Ele trabalha numa fábrica, é engolido pela máquina e termina na estrada da vida, com a mulher amada. René Clair admitiu que se inspirou no cartaz da rede Telecine para fazer seu clássico À Nous la Liberté, que o próprio Chaplin admirava. Reprise, preto e branco, 99 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.