Ivan Lessa: Hein?

Colunista comenta livro feito todo de perguntas que está dando panos para manga no mundo literário.

Ivan Lessa, BBC

19 de novembro de 2010 | 06h06

Outro dia, na quarta-feira, andei falando de livros. Pois insisto em falar de mais livros.

Recomendou-me a prudência interior, sempre puxando um ronco, que era melhor ficar ao menos alguns dias voltado para as coisas das artes escritas. À mão, com caneta tinteiro, ou computador. Que eu andava meio voltado para as baixarias que vivo vendo não só nas esquinas como nos meios mediáticos.

Então, vamos lá.

No metiê literário, e nas rodas dos bares metidos a besta, é conhecida a história daquele sujeitinho - sim, é sempre alguém no diminutivo - que após se preparar física e espiritualmente, com exercícios diários e nos alfarrábios (ele foi até aos grêmios literários lusos), enfrentou no peito, na raça e na marra o celebérrimo e enrustidíssimo, segundo dizem, romance Ulisses, do bom, do grande, do genial irlandês James Joyce.

Passou dias, semanas, meses mesmo convivendo com o clássico moderno. Cercado de ensaios, estudos, mapas de Dublin, o diabo. Passado um bom espaço de tempo, nosso amigo chegou ao monólogo final de Molly Bloom, deu com aquele célebre "sim" (que nosso querido Antônio Houaiss traduziu para "Sins"), fechou o livro, e os outros que o cercavam, fixou o olhar na parede e, com um jeitão perplexo, exclamou para si mesmo e toda a eternidade: "Hein?"

Sua perplexidade é piada ou justificada? Eu lá sei? Quem o saberá? Quem o ousará?

Nesses pontos de interrogação amarrei meus burros de hoje. Quero vos falar, irmãos, do romance do americano Padgett Powell, recentemente publicado aqui nestas ilhas, e que, se não está vendendo feito "pãezinhos quentes", está, ao menos, para mudar de lugar-comum em inglês, dando panos para manga. Ou será mangas para pano? Uma coisa assim. Agora me confundi. Nisso que dá literatura moderna. Ou modernosa, se preferirem.

A obra em questão leva o título de The Interrogative Mood: A Novel? (Será O Temperamento Interrogativo: Um Romance? um título à altura? Vocês acham o quê? Eu lá sei alguma coisa?). Só posso - e se é que posso - adiantar que se trata de uma obra de ficção de 164 páginas, foi editado pelaProfile Books e custa 9 libras e 99 pence.

Mais não juro. Mas li as resenhas, que isso sim é fazer a "vida literária", e mesmo assim delas saí me perguntando, e a quem quisesse me ouvir, o que o homenzinho do livro de Joyce exclamou ao final: Hein? Hein? Hein? E até mesmo sua variação, "Hem?" Como um surdo? Capaz. Ou melhor: capaz?

O livro todo, como aquela sofisticada brincadeira do George Perec, que mencionei da última vez, quarta-feira, é todo macete. Ou seja, feito inteiramente de perguntas. Melhor dizendo: escrito inteiramente usando perguntas. 194 páginas de perguntas. As resenhas, já disseram (acho que disseram, não sei), não demonstram muita convicção à guisa de loas e mudos deixaram seus guizos jocosos de críticos profissionais abalizados.

Sapeco um trechinho e deixo a bola com você, bom leitor que teve a paciência de chegar até este ponto. Se quiserem me mandar exclamações ou mesmo reticências significativas, tudo bem. É com vocês. Acho. Ou melhor: acho? Vamos aspear um pouco o raio do Padgett. Lá está, lá estão. E se a tradução é capenga, a culpa é toda minha. Toda minha? Mesmo?

"Você gosta de penas? Você já esteve de pé num atol? Quando se veste de branco, insiste que seja branco imaculado? Quando é que começaram a fazer manteiga? Você ainda faz uso de velinhas no seu aniversário? Você não teve um tio que foi engenheiro numa guerra por aí? Você chupava o dedo quando garoto? Você tem prazer em pegar um táxi?"

E assim por diante até chegar à última (a 194ª conta?) página. Bacaninha, né não? Hein? Hem?BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
ivan lessacoluna

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.