Itu Fashion Week

Festival, camping, galerinha, três dias de friaca. Nas intermináveis filas da triagem, do banho e da comida, o SWU ofereceu tempo para checar os figurinos. Quanto pior o humor, melhor a apresentação: toalha verde abacate enrolada na cabeça, chinelo Rider, canga colorida com kit xampu na mão, bustiê, cachecol de tricô, Maria Chiquinha, sandália alta, mala de rodinha, jeans por baixo do vestido. À tarde, na hora de se vestir pro show, surgiam novos looks. O povo sacodia a barraca atrás dos xadrezes, das camisetas de rock, das botas, dos shorts boyfriend, das calças bocas de sino e, claro, das bolsas matelassadas, dos brincões dourados e pashminas esvoaçantes.

PAULO SAMPAIO E JULIO MARIA, O Estado de S.Paulo

12 de outubro de 2010 | 00h00

Os óculos redondinhos a la John Lennon 1973 não foram vistos por aqui. Não que estivesse aquele sol em Itu, mas o povo preferiu arcos com lentes escuras bem mais modernas. Bandanas e lenços (mesmo quando chiques) dão o recado do "fui andar no mato", equilibrado com um batom vermelho que responde: "Mas volto já já."

As três da foto dizem que não tiveram tempo de se arrumar e, por isso, vestiram "qualquer coisa". Se tivessem tido mais tempo, talvez não reunissem tão bem tudo o que se viu no gramado. "Compramos o ingresso na AV. Paulista às duas da tarde (são 18h)", diz Talita, Na pressa, o triunvirato teve de se maquiar (impecavelmente) no carro...

E lá estava Deise Azevedo, de 27 anos, com sua mochila impecável. Ela montou três looks para levar ao acampamento. No primeiro dia, do rock, jeans e casaco de couro preto. No dia desta foto, estava com um short jeans desenhado por ela com a barra virada. No dia seguinte, camiseta, bota e short, mas em outros tons. A tiara era multicolorida.

O frio faz mal à saúde do roqueiro quando ele abre o armário da barraca pela manhã (se é que tem armário nas tendas de Itu) e vai vestindo tudo o que levou de roupa. E quando acaba, pega a roupa da amiga, da irmã... Aí vira um heavy metal do hippie doido. Tá certo, cores vivas estão na moda. Mas o Restart não estava na programação. Ainda bem.

O frio faz bem ao roqueiro quando ele tem uma jaqueta de couro preta. De cabelo curto (coisa que não existia em Woodstock), essa figura aí de cima sabe a força desse patrimônio do rock and roll. A bolsa de cor viva moderniza o visual e não o deixa passar despercebido pela multidão. Mesmo no campo, o frio pode virar charme.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.