Itaú Cultural lança versão Rumos 2003

A partir de hoje o programa Rumos do Itaú Cultural retoma o mapeamento da criação artística nacional que vem fazendo desde 1997, ao anunciar nesta noite como será sua versão 2003. A pesquisa acadêmica é a mais recente investida do programa Rumos, que vai abrir processos de seleção nas áreas de dança, cinema e vídeo. Também será lançado o livro Mapeamento Nacional da Produção Emergente, que registra todas as etapas do programa. "A intenção do projeto é ter uma participação nacional, o que permite mapear toda a diversidade nacional e, principalmente, promover a integração das diversas manifestações artísticas do País", comenta Eduardo Saron, superintendente de atividades culturais do Itaú Cultural. "Depois de seis anos de projeto, podemos dizer que o formato permite reconhecer e difundir a produção artística fora do eixo Rio-São Paulo." O programa que privilegia pesquisa acadêmica surge no momento em que a mídia arte alcança grande repercussão no Brasil. Assim, na primeira edição, serão selecionados projetos voltados para o estudo da mídia arte, que receberão um prêmio para o desenvolvimento de seus trabalhos.A difusão e a memória devem ser reforçados. Na dança, por exemplo, que terá sua segunda edição, o Rumos vai destinar recursos para a produção de obras e especialmente para o seu registro, uma das maiores carências da área, como mostrou o mapeamento realizado pela primeira edição do programa, em 2000. Haverá inscrições para obras coreográficas comprometidas com a investigação e a pesquisa de dança contemporânea nos formatos solo, duo e grupo. Serão selecionados 15 projetos, que receberão apoio para a sua realização e serão exibidos em uma mostra, no Itaú Cultural. Já em cinema e vídeo, o programa, tradicionalmente voltado para documentários, pretende, em sua terceira edição, privilegiar os projetos que tratem de temas contemporâneos relacionados à realidade brasileira. Haverá uma pré-seleção de 15 roteiros, que participarão de um laboratório com especialistas da área, no qual o realizador assistirá a palestras e integrará grupos de discussão com a intenção de analisar criticamente a sua proposta e a dos outros selecionados. A fase seguinte escolherá os cinco projetos que receberão um prêmio de incentivo para a realização de documentários, que comporão uma série de televisão intitulada Brasil 3 x 4, a ser exibida em mostras promovidas por canais de TV a cabo.Uma parte significativa dos projetos desenvolvidos será documentada em livro com perfis individuais dos 69 artistas selecionados em 16 Estados e no Distrito Federal, entre outros dados.

Agencia Estado,

24 de fevereiro de 2003 | 20h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.