Itaú Cultural financia novas pesquisas

O Núcleo de Artes Cênicas do Itaú Cultural dá continuidade ao programa Rumos: a instituição concedeu duas bolsas, uma à curadora assistente Nirvana Marinho e outra à pesquisadora Ítala Clay. Elas vão realizar um estágio de cinco semanas em uma das maiores bibliotecas de dança do mundo, a Dance Collection da New York Public Library, nos Estados Unidos.As bolsas têm como propósito a especialização das pesquisadoras, que vão ampliar os conhecimentos na organização de arquivos e coleta de informações. "No Brasil temos poucos profissionais especializados na área. Desde o início, quando pensamos o Rumos, tínhamos a intenção de qualificar pessoas, por meio de palestras, workshops e agora, pelas bolsas", comenta a coordenadora Sonia Sobral.Cada pesquisadora focaliza uma área específica. Nirvana colhe informações sobre dança e novas tecnologias. "Tenho me debruçado sobre as questões mais recentes envolvendo o assunto. Aqui, tenho acesso às novas publicações, CD-ROMs, aos artigos e entrevistas que mostram a visão dos artistas envolvidos, anais de congressos e revistas especializadas. Essas informações serão transmitidas aos artistas brasileiros interessados no assunto", explica Nirvana. Ítala observa a estrutura organizacional. "A minha finalidade é conhecer a estrutura física e o sistema de gerência de informações, o que significa o trabalho com a indexação de assuntos nos mais variados formatos e tipos de materiais", conta a pesquisadora. Novas informações - "Todo o conhecimento acumulado nessas cinco semanas será transmitido para outras instituições brasileiras, assim como para o Centro de Documentação do Itaú", diz Sonia. "Não temos a pretensão de criar uma biblioteca como a Dance Collection, apenas queremos fomentar a dança no País e trazer elementos que auxiliem a pesquisa." "Uma iniciativa como essa é positiva, uma vez que abre novos caminhos para os profissionais da área, mantendo o pensamento crítico a respeito daquilo que é feito", avalia Nirvana. Fora o trabalho nos bastidores, para o próximo ano, ainda sem data definida, será realizada a atualização dos dados do Rumos, que mapeou a dança contemporânea em todo o País. O programa também contará com mais um tópico, a pesquisa teórica e prática sobre a dança e tecnologia. "Reuniremos teses e dissertações publicadas por universidades, que discutam o tema, assim como novas mídias e cyber cultura", comenta a coordenadora do projeto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.