Itaú Cultural aborda futebol em espetáculo multimídia

São só três apresentações neste fim de semana no Itaú Cultural. O nome do espetáculo multimídia é Futebol, mas nada tem a ver com oportunismo. No palco, o público vai acompanhar o diálogo que se estabelece entre imagens projetadas em um telão, o som de uma banda e o trabalho dos DJs Eugênio Lima e Will Robson, da atriz MC Roberta Estrela d´Alva e do ator Pedro Guimarães. Tudo para provocar reflexão sobre racismo no Brasil, a partir do futebol.Trata-se de uma criação do coletivo 3 de Fevereiro, uma associação que une atores, músicos, sociólogos e historiadores. O nome faz referência à data do assassinato do dentista negro Flávio Ferreira Sant´Ana. "Ele foi morto por policiais que o confundiram com um bandido", diz Roberta. "O racismo é um sombra colonial do passado que cega o presente", diz o texto da peça, criado a partir de uma entrevista do cineasta Noel Carvalho."Piadas e xingamentos não são inocentes; alimentam o preconceito e todo dia se morre por causa dele", observa a atriz que assim como o DJ Eugênio Lima é integrante do Núcleo Bartolomeu de Depoimentos. O espetáculo tem como ponto de partida a prisão do jogador argentino Desabato, no Brasil, por injúria e preconceito contra o jogador Grafite. As imagens desse caso e algumas das discussões em torno dele estão nesse espetáculo que tem como ´texto base´ uma entrevista do cineasta Noel Carvalho sobre o tema.Entre outras ações, os integrante desse coletivo criaram e estenderam em estádios como o Pacaembu bandeiras gigantescas em jogos-chave de campeonatos com dizeres como Brasil Negro Salve; Onde Estão Os Negros? e Zumbi Somos Nós. "São performances cuja idéia central é usar a mídia a nosso favor, chamando atenção das câmeras de TV", diz Roberta. Convidados a participar da Copa da Cultura, eles conseguiram chamar atenção de toda a mídia européia, na pré-abertura da Copa, ao estender uma bandeira no estádio no momento em que Pelé estava sendo recebido, com os dizeres ´Know go areas´, um jogo de palavras com ´no go areas´ como são chamadas as zonas perigosas para imigrantes na Europa. "Nossa proposta é de criar ações sempre vivas, nunca engessá-las." Futebol. 50 min. Livre. Itaú Cultural - Sala Itaú Cultural (255 lug.). Av. Paulista, 149, Paraíso, 2168-1776, metrô Brigadeiro. 6.ª e dom., 19h30; sáb., 16 h. Grátis (retirar convites meia hora antes)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.