Israel: revista feminina fala de sexo e emancipação

Lilac, uma nova revista mensal para mulheres árabes com notas sobre sexo e sociedade nunca antes publicadas nos meios árabes em Israel e nos territórios palestinos, atingiu um êxito supreendente. Editada em Nazareth, Lilac ("violeta" em árabe) vende em média 18.000 exemplares: uma quantidade alta, tendo em conta que se distribuem nas zonas árabes israelitas e nos principais conglomerados urbano palestinos.Com uma redação composta apenas de mulheres, cristãs e muçulmanas, Lilac abriu novos horizontes às leitoras, escrevendo sobre sexualidade e emancipação feminina. A revista publicou, por exemplo, uma entrevista com a feminista egípcia Nawal Saadawi, que acusou a sociedade patriarcal árabe e aconselhou os jovens árabes a viver sem temores sua sexualidade antes do matrimônio. Os fundamentalistas islâmicos julgam a publicação lesiva aos princípios religiosos. Cópias de Lilac foram roubadas e destruídas recentemente por desconhecidos em Umm El-Fahem, uma localidade da Galilea considerada uma região forte do movimento islâmico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.