Israel exibe antiga escultura romana de Vênus

Uma antiga estátua da deusa Vênus, sem cabeça, mas vibrante em cores e detalhes, foi exposta hoje no Museu de Israel, mais de dez anos depois de ser encontrada no norte do país. A estatua de mármore, de tamanho natural, é uma das esculturas romanas mais importantes descobertas no mundo, disse James Snyder, diretor do museu.A estátua foi encontrada em 1993 em uma escavação arqueológica em Beit Shean, uma pequena cidade perto do rio Jordão e do mar de Galiléia. Os arqueólogos da Universidade Hebraica que encontraram a Vênus também encontraram outras esculturas destinadas a decorar uma luxuosa casa de banhos, entre elas uma do deus Dionísio, uma da deusa Atena, um imperador sem cabeça e uma ninfa.A figura rósea de Vênus, em uma pose sensual, está exposta contra uma parede na última parte de um grande salão de tesouros arqueológicos do museu. Com cachos de cabelos caindo sobre os ombros da escultura, a figura segue o modelo da chamada "Vênus tímida", o que é particularmente notado pela ausência das mãos, que revelam partes do corpo feminino que o artista queria esconder. Um Eros gordo montado num golfinho sustenta a perna esquerda dela. O arqueólogo Gideon Foerster disse que a estátua de meiatonelada permaneceu em seu lugar durante 400 anos. Ele e seus colegas acreditam que ela foi esculpida no povoado de Afrodisias, na atual Turquia.Dudi Mevoraj, diretor das seções romana, helenística ebizantina do museu, disse que, entre as esculturas da era Romana, a Vênus é a mais conservada do mundo em termos de cor. "A sociedade cristã da antiga Beit Shean devia tergovernantes e administradores tolerantes que optaram por não destruir as estátuas pagãs, com fizeram seus contemporâneos na maioria dos lugares", disse Mevoraj.

Agencia Estado,

30 de março de 2005 | 18h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.