<i>SBT Brasil</i>, sem Ana Paula Padrão, busca identidade

Habituado que é a tantas trocas de horário operadas por Silvio Santos no seu SBT, o telespectador poderá suspeitar, amanhã, ao ver Carlos Nascimento no ar às 9 da noite, que o jornal dele agora vai ao ar mais cedo. Não é isso. Ou até é. O jornalista estréia no comando do SBT Brasil, na cadeira deixada por Ana Paula Padrão, mas não abandonará o Jornal do SBT, tardão da noite. Foi pedido do Silvio Santos e ele, sem acanhamento, admite: ?Como é que eu ia recusar um pedido dele??Ao chegara ao jornal carro-chefe da casa, Nascimento derruba paredes. Uma nova bancada, em meio à redação, foi erguida para inaugurar a fase pós-Ana Paula Padrão. Aquele cenário bacana, modernoso e com múltiplas possibilidades de ângulos de câmeras - mas ligeiramente gelado aos olhos do público - desaparece. E a figura do apresentador isolado, idem.Nascimento terá direito a uma parceira na apresentação. O nome ainda não foi acertado, pode até vir de uma solução doméstica - Juliana Alvim e Alessandra de Castro, ambas repórteres do SBT em Brasília, foram convidadas a fazer teste para o cargo.Mas casal na bancada não remete, inevitavelmente, a Jornal Nacional? ?Não, se você pensar, casal no Jornal Nacional é algo mais recente?, fala. Nem tanto. Já se vão 10 anos, quase 11, desde que Cid Moreira e Sérgio Chapelin foram convidados a se retirar de lá para dar vez a William Bonner e então Lillian Witte Fibe. Ainda assim, Nascimento defende par na bancada e alguma distância do JN no formato. ?A decisão foi da direção, mas eu fui a favor, acho que enriquece o jornal, permite o diálogo entre os apresentadores e o público gosta mais?, fala.A fachada se distancia de outros modelos na TV por algumas razões. A principal delas talvez seja a própria platéia do SBT. Para Nascimento, é o caso de se buscar uma linha mais popular (atenção, leitor, não há como confundir com popularesco ou mundo-cão, que o currículo do homem não deixa brechas para dúvida).?Precisamos falar mais com o público que nos vê, tratar de assuntos que sejam do interesse dele, tratar muito de conceitos e menos de fatos. E focar no público do SBT?. Macroeconomia, por exemplo, não se justifica sem uma leitura do que aqueles índices representam para o bolso do consumidor. Horário faz a diferençaOutro ponto que ajuda a nortear o noticiário é o horário. ?Vamos entrar no ar num momento em que as notícias já foram dadas (o SBT Brasil entra no ar após o Jornal da Band, o Jornal da Cultura, o Jornal da Gazeta, o Jornal da Record e, por fim, o Jornal Nacional). Não podemos partir do princípio que vamos dar uma novidade. Primeiro temos de esgotar informações que os outros não deram, ainda que os assuntos não sejam novos para o telespectador àquela altura, e dar uma angulação diferente.? Mas há também muitas histórias que se resolvem entre 8 e 9 da noite e que não cabem no prazo dos demais noticiários.Foi na linha vamos-vestir-a-camisa que o âncora de Dois Córregos (embora nascido em Jaú, justiça se faça) reuniu a equipe do SBT Brasil na semana passada para reajustar os propósitos que vêm aí. Disse que a segunda emissora tem de fazer o segundo jornal. Nada mais lógico, não fosse o fato de a Record avançar a passos largos rumo à vice-liderança de audiência e de a grade do SBT não conspirar a favor do noticiário. Nascimento não se abala: ?grade não é problema nosso?, encerra, para sacar do bolso do colete seu passado recente na Bandeirantes. A grade no Morumbi também não favorecia o Jornal da Band, lembra, e a audiência avançou mesmo assim.Com Ricardo Boechat, o Jornal da Band continua bem na fita. Quarta-feira passada emplacou 7 pontos de média. Tomadas as proporções de audiência do SBT e da Band, a Band tem feito bonito. E é nisso que as alterações de horário de grade mais fazem estrago no SBT: jornal carece de um mínimo de hábito, item que a Bandeirantes preza desde sempre no campo da notícia e que não merece a devida atenção na TV de Silvio Santos.Bem, enquanto Nascimento reacende os ânimos da tropa, Ana Paula Padrão emenda outro período de férias para se dedicar, a partir de janeiro, a um novo programa de reportagens na casa, o SBT Realidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.