Irlandesa Anne Enright ganha o prêmio Booker de literatura

Anne derrotou os escritores considerados favoritos nas casas de apostas; Ian McEwan e Lloyd Jones

EFE,

17 Outubro 2007 | 11h59

A escritora irlandesa Anne Enright ganhou na terça-feira, 16, o prêmio Booker de literatura, o mais importante do Reino Unido, pelo romance The Gathering, que conta a história de três gerações de uma família.   Anne, de 45 anos, derrotou os escritores que eram considerados favoritos nas casas de apostas: o britânico Ian McEwan e o neozelandês Lloyd Jones.   "Anne Enright escreveu um livro poderoso, incômodo e, às vezes, amargo. The Gathering é um olhar impávido sobre uma família que causa tristeza com uma linguagem forte e chamativa", destacou o presidente do júri, Howard Davies.   Diretor da London School of Economics and Political Science, Davies chamou Anne, uma ex-produtora de TV que publicou seu primeiro romance em 1995, de uma autora "impressionante", que escreveu uma poderosa obra com um final "absolutamente brilhante". "Tem uma das melhores últimas frases de todos os romances que já li", afirmou.   O livro, o quarto de Anne, é narrado do ponto de vista de uma das protagonistas, Veronica Hegarty. Ela decide pesquisar a história da família numa tentativa de encontrar sentido para a morte de seu irmão Liam, um alcoólatra que decide se suicidar jogando-se ao mar.   Mas, no caminho, Veronica acaba descobrindo algumas verdades difíceis.   O livro anterior da autora é um trabalho de não ficção, Making babies: Stumbling into motherhood, publicado em 2004, que relata a sua própria experiência de ter um filho.   O júri demorou duas horas e meia deliberando e utilizou três métodos de votação diferentes para escolher o ganhador.   "Não era a primeira opção de todo o mundo. Todos os livros tinham seus defensores de um tipo ou outro, mas foi uma escolha com a qual todos os membros do júri ficaram felizes", acrescentou Davies.   Em agosto, quando foram anunciadas as candidaturas, McEwan surgiu como favorito para o prêmio com On Chesil Beach. O livro narra, em menos de 200 páginas, a história da desastrosa noite de núpcias de um casal num hotel no litoral sul da Inglaterra durante os anos 60.   O escritor, de 59 anos, já recebeu o prêmio em 1998, com Amsterdam, e foi finalista em outras duas ocasiões.   Lloyd Jones também estava bem com Mister Pip, uma história ambientada em Papua Nova Guiné e que já ganhou este ano o prêmio Commonwealth.   Os outros três aspirantes eram a britânica Nicola Barker (Darkmans), o paquistanês Mohsin Hamid (The Reluctant Fundamentalist) e a anglo-indiana Indra Sinha (Animal's People).   O prêmio Booker, que dá 50.000 libras (71.000 euros) ao seu vencedor, premia o melhor romance dos últimos 12 meses escrito por um autor britânico, irlandês ou da Comunidade Britânica das Nações (Commonwealth).

Mais conteúdo sobre:
Anne Enright Booker literatura

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.