Iphan registra "bens culturais"

A panela de barro capixaba, o toque dos sinos de São João del Rei, o queijo do Serro, a festa do Círio de Nazaré e a Praça da Sé são alguns dos "bens culturais" que poderão fazer parte do Patrimônio Imaterial Brasileiro, um grande inventário sobre a cultura e as tradições do País que está sendo construído pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).Criado em agosto passado por decreto do presidente Fernando Henrique Cardoso, o Programa Nacional de Patrimônio Imaterial quer ampliar a idéia de tombamento, válida para prédios históricos, para produtos e costumes do cotidiano de diferentes regiões do País.O registro dos bens será dividido em quatro "livros": Saberes (conhecimentos e modos de fazer de comunidades, como a forma de fabricar panelas de barro, queijo mineiro ou um som particular de sinos), Celebrações (rituais e festas, como a do Círio de Nazaré), Lugares (praças e mercados onde ocorrem práticas culturais, como a Praça da Sé, em São Paulo) e Formas de Expressão (manifestações literárias, musicais, plásticas e lúdicas, como o repente ou o cordel)."A idéia é preservar os elementos da cultura brasileira que, por serem dinâmicos, não podemos aplicar o tombamento. O registro foi a forma encontrada para criar um patrimônio do cotidiano e da diversidade cultural", diz Ana Cláudia Lima e Alves, pesquisadora do Iphan e membro da equipe responsável pelo registro.Moqueca - O primeiro "bem" a fazer parte do registro deve ser a panela de barro capixaba. Com cerca de mil anos de existência documentada, a técnica de fabricação da panela foi emprestada de populações indígenas e, segundo o Iphan, sofreu poucas transformações nesse período. No Espírito Santo, ela é usada para cozinhar as tradicionais moquecas e tortas capixabas.O registro da panela foi uma idéia conjunta do Iphan e da Secretaria de Cultura de Vitória. Mas outras candidaturas já surgiram.O governo do Estado de Minas inscreveu o queijo do Serro (tradicional da cidade homônima) e a forma como os sinos são badalados na cidade histórica de São João del Rei. O Pará já teria manifestado intenção de incluir a festa do Círio de Nazaré e São Paulo, a Praça da Sé. "Mas a lista está só começando", diz Ana Cláudia.Segundo a pesquisadora, a inclusão de ingredientes da culinária brasileira pode seguir modelos de países que usam os elementos culturais para valorizar seus produtos, como é o caso da França, com seus queijos e vizinhos famosos pelas regiões onde são produzidos. "Eles agregaram aos seus produtos um valor cultural que não só ajuda a reforçar a cultura francesa, mas a promover o produto."

Agencia Estado,

30 de outubro de 2001 | 21h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.