Internet difunde línguas, diz francês

A Internet e os novos meios eletrônicos abrem espaço para línguas que não tinham como participar do mercado editorial, acredita o francês Maurice Aymard, da Escola de Altos Estudos em Ciências Sociais, de Paris. Ele participou na terça-feira de debate na Academia Brasileira de Letras, como parte do colóquio internacional O Lugar do Livro: Entre a Nação e o Mundo.Aymard não tratou diretamente da questão, mas na França, o problema das línguas regionais, como o provençal, o bretão, o catalão e o corso, mobiliza vários grupos, que se valem da Internet para publicar textos e glossários. Para o professor, a era eletrônica favorece a flexibilidade, renovando e descentralizando a produção de bens culturais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.