Internet agita trama da novela "Celebridade"

O mesmo Gilberto Braga que criou e matou Odete Roitman, personagem que até hoje persegue Beatriz Segall e que foi, depois do genial Salomão Hayala (Dionízio Azevedo) de Janete Clair (O Astro, 1978, Globo), o hit da história da novela brasileira repete o truque. O clássico "quem matou" volta agora na era da internet, com a alta expectativa pelo assassinato de Lineu, o magnata da novela das oito.A Globo hoje não conta com a mesma hegemonia daquela época. Com controle remoto ao alcance das mãos na maioria dos lares brasileiros, mudar de canal tornou-se quase um vício. Em compensação, 1 ponto porcentual de audiência, hoje, soma milhares a mais que em 1978 ou mesmo 89, quando Vale Tudo traçava o destino de dona Odete. O caso é que a morte do personagem de Hugo Carvana, agora, será a primeira chance de explorar esse tentador universo de especulações via internet, com direito a bolsa de apostas e brincadeiras do tipo quiz para aquecer o assunto do horário nobre e reabastecer os ânimos da platéia pela manutenção da audiência. Do braço do plim-plim na web - a globo.com - ao comércio de e-mails, a Globo tem todas as condições de fazer essa história crescer com ferramentas que fazem do "quem matou" um argumento de folhetim repaginado nos dias de hoje. A Globo tem aprendido a tirar bom proveito de sua habilidade em teledramaturgia para movimentar seus Big Brothers. No caso da morte de Lineu, o grande barato será inverter o jogo, colocando a internet à disposição da ficção.

Agencia Estado,

10 de fevereiro de 2004 | 12h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.