Internado em Recife, Reginaldo Rossi apresenta melhora

O cantor e compositor pernambucano Reginaldo Rossi, 69 anos, tem um tipo de câncer de pulmão que possui grande possibilidade de metástase, mas ao mesmo tempo oferece boa resposta aos medicamentos. A informação foi dada nesta quinta-feira, 12, pela equipe médica que o atende no Hospital Memorial São José, no Recife, onde ele está internado desde o dia 27.

ANGELA LACERDA, Agência Estado

12 Dezembro 2013 | 19h37

Rossi continua na Unidade de Terapia Intensiva, entubado, e se submeteu à segunda sessão de quimioterapia. Ele apresentou melhora, depois da primeira sessão, realizada nesta quarta-feira, 11, quando passou mal e seu estado foi considerado "crítico" pelos médicos. Nesta sexta, 13, ele terá a terceira sessão, encerrando o primeiro ciclo do tratamento. Depois de um intervalo de 21 dias, voltará à quimioterapia.

O cantor tem insuficiência renal e se submete a hemodiálise desde o dia 3 de dezembro. O pneumologista Murilo Guimarães, que integra uma equipe de seis profissionais, disse que há expectativa de que ele continue reagindo. Observou, no entanto, que o cantor corre risco de vida. "Ninguém que está na UTI não está em risco de vida", disse, em entrevista.

O cantor deu entrada no hospital com dores torácicas, hipertensão e infecção renal. No dia 4 foi retirado um nódulo da sua axila direita e o resultado da biópsia confirmou o diagnóstico de câncer no pulmão. Na segunda-feira, 9, foram retirados dois litros de líquido acumulados entre a pleura e o pulmão, num procedimento chamado toracocentese.

Considerado "o rei do brega", Reginaldo Rossi tem entre seus maiores sucessos as músicas "Garçom", "Mon amour meu bem ma femme", "Eu queria te odiar", "A raposa e as uvas".

Mais conteúdo sobre:
Reginaldo Rossi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.