Interatividades discute a dança

O Itaú Cultural dá seqüência aoInteratividades, um projeto que investiga e debate a produçãoartística da era digital. Nesta semana, o foco está nas relaçõesestabelecidas entre dança e tecnologia. A coreógrafa e artistaplástica espanhola La Ribot apresenta a videoinstalação Despliegue, até domingo. Durante 45 minutos o público poderá transitar em meio àsimagens, sem a presença física da artista. Para comporDespliegue, La Ribot extraiu uma série de fragmentos de trêsséries das obras "Piezas Distinguidas - Mas Distinguidas eSocorro! Gloria!" Para capturar as seqüências, a artista dispôso material escolhido no chão e com o auxílio de duas câmeras,uma no teto e outra em sua mão direita, La Ribot registroudiversas seqüências, que são exibidas simultaneamente e emescala real. De acordo com a artista, esse é um momento para refletirdez anos de trabalho e avaliar a necessidade ou não da presençafísica da intérprete na obra. "O mais importante emDespliegue está a discussão sugerida por La Ribot. Um trabalhoque explora a imagem, realizado no campo virtual, executado sema presença da intérprete-criadora", diz Sônia Sobral, do Itaú."Não considero La Ribot como uma artista de arte e tecnologia,mas sua pesquisa é importante e está plenamente de acordo com otema do Interatividades." O debate em torno das relações entre dança e teatro comvídeo continua em forma de workshop, amanhã e quinta-feira, comdois profissionais envolvidos no projeto, o produtor EduardoBonito e o editor de vídeo Nelson Enohata. O workshop é voltadopara artistas e profissionais da área. Para a próxima semana, marcando o encerramento doprojeto, o duelo entre a realidade virtual e a real. Acoreógrafa canadense Marie-Claude Poulin e o especialista emmídia arte, o austríaco Martin Kusch, formam o Kondition Pluriele eliminam as fronteiras entre o corpo humano e a tecnologia nainstalação coreográfica Schème II, que apresentam de entreos dias 13 e 15. Amanhã se encerram as inscrições para oworkshop, ministrado pela dupla e voltado especialmente paraartistas visuais e coreógrafos. "O Kondition Pluriel explora a discussão da fronteiraentre corpo e mídias digitais. Em suas performances elesobservam o real e o virtual dentro da coreografia. A partir deelementos reais, buscam criar uma realidade virtual." De acordocom Sônia, essa será a primeira vez que a dupla fará umaapresentação em um teatro. "Normalmente, esse trabalho éapresentado em locais alternativos, como garagens, por exemplo.Por problemas técnicos e operacionais eles se apresentarão em umespaço formal, o que para eles será uma experiência nova, quesuscitará novas indagações." Para o Kondition Pluriel não há oposição entre o naturale o artificial, uma vez que o corpo humano em movimento é umaferramenta tecnológica. Na instalação coreográfica Schème II, osmovimentos dos bailarinos são captados por sensores quemodificam toda a estrutura do espetáculo, das projeçõescenográficas à trilha sonora, em tempo real. Em cena, a dupla promove a integração entre dança, vídeodigital, câmeras ao vivo e os sons. Esses elementos somados àperformance real buscam a criação de um mundo interativovirtual. Os artistas brincam com a percepção do público.Serviço - Despliegue. Videoinstalação de La Ribot. De quarta a sábado, das10 às 21 horas; domingo, das 10 às 19 horas. Itaú Cultural.Avenida Paulista, 149, tel. 3268-1700. Até domingo

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.