Intelectuais e artistas criam Live Aid Latino no Panamá

Cantores, intelectuais, empresários e organizações de cooperação internacional lançam nesta terça-feira, no Panamá, a fundação Alas, ou América Latina en Acción Social, para arrecadar fundos para o combate à pobreza em todo o continente. Artistas como a colombiana Shakira e o porto-riquenho Ricky Martin tentarão recriar os megaconcertos realizados por países anglo-saxões para ajudar os pobres da África, mas agora com o foco na América Latina.O escritor colombiano Gabriel García Márquez, ganhador do prêmio Nobel de literatura, aceitou a presidência honorária da fundação e o ex-primeiro ministro espanhol Felipe González chefiará o grupo encarregado de avaliar os projetos de ajuda.Por trás da iniciativa está também um grupo de bem-sucedidos empresários latino-americanos, entre eles, o brasileiro Joseph Safra. Os empresários se encarregarão de cobrir os custos de funcionamento da organização.Um dos responsáveis pela iniciativa, o cantor espanhol Miguel Bosé, disse à BBC que tudo surgiu de uma conversa entre ele, Shakira, Antonio De la Rúa (marido da cantora e filho do ex-presidente argentino Fernando de la Rúa) e o cantor espanhol Alejandro Sanz. "Nós decidimos que temos de tirar proveito dos privilégios que temos (como artistas)", explicou Bosé. O cantor disse que a idéia é reunir fundos para os necessitados da América Latina através de doações e eventos musicais e esportivos. "Criaremos projetos que sejam sustentáveis, seja por governos ou instituições. Não podemos colocar dinheiro eternamente, por isso deve haver um compromisso político", disse."Vamos pressionar. Da mesma forma como esperamos ser solidários, vamos ser incômodos também", acrescentou. Saúde e Educação O ex-vice-ministro do Interior da Argentina, Lautaro García Batallán, assumiu o cargo de diretor executivo da Alas. Ele disse à BBC que a primeira etapa do projeto tem a criança como foco."Quarenta milhões de menores de 18 anos na América Latina vivem ou trabalham nas ruas. Isto é o equivalente a um país inteiro só de mendigos", disse.Por isso, a fundação criou programas que oferecerão atendimento de saúde para mulheres grávidas, vacinação para crianças menores de cinco anos e registro de recém-nascidos. Outro programa incentivará a inserção e retenção de crianças na escola e o combate ao trabalho infantil. A fundação Alas terá sede no Panamá. A seleção dos projetos ficará a cargo de um conselho interno chefiado pelo ex-primeiro ministro espanhol Felipe Gonzalez e de que participam 20 empresários.A entidade terá o apoio de organizações não-governamentais e de intergovernamentais como a Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância).A iniciativa deverá causar impacto, tendo em vista as grandes personalidades e o porte das organizações envolvidas. Mas com quase a metade da população da América Latina vivendo abaixo da linha da pobreza, o desafio a ser enfrentado é grande.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.