Intelectuais criam conselho para proteger cultura iraquiana

Cerca de 200 intelectuais, artistas eacadêmicos iraquianos anunciaram nesta segunda, 30, em Amã a criação de um"conselho cultural iraquiano" para proteger a cultura do Iraque dosperigos da violência sectária que atinge o país.O anúncio foi feito por Ibrahim Zubeidi, um dos membros do comitêencarregado da formação do conselho, ao término de dois dias dereuniões em Amã, capital da Jordânia."A criação do conselho foi motivada pela sistemática campanha dedestruição e assassinato que a cultura e os intelectuais do Iraqueenfrentam e que é colocada em prática por grupos que promovem a lutasectária e étnica", ressaltou Zubeidi.IndependenteO intelectual iraquiano deixou claro que o conselho "é umainstituição cultural, independente e não-governamental, que rejeitatoda forma de fanatismo sectário, e que busca ajudar o povoiraquiano a se livrar da ocupação (americana) e de seu impactodestrutivo".Dirigentes da comunidade sunita do Iraque denunciaram emreiteradas ocasiões que milhares de intelectuais, cientistas eprofessores universitários iraquianos - a maioria sunita - foramassassinados por milícias xiitas apoiadas pelo Irã desde a invasãodo país, em março de 2003.Também há um grande número de intelectuais entre os 750 milcidadãos iraquianos que se refugiaram nos últimos quatro anos naJordânia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.