INSTRUMENTALSax, baixo e batera quentes, paraenvolver plateias

MARCELO MONTEIRO

O Estado de S.Paulo

10 de março de 2012 | 03h10

MARCELO MONTEIRO

Independente

Preço médio: R$ 25

ÓTIMO

Já decretaram a morte da música instrumental brasileira algumas vezes. Os músicos choravam como gênios incompreendidos e, diziam, não tinham público, não tinham mídia, não tinham grana. Em muitos casos, com o respeito a todos, a culpa era deles. Se o ouvinte não sente atração na mensagem, o emissor tem problemas. Uma geração vibrante de instrumentistas surge sobretudo em São Paulo sem empunhar bandeiras e se apresentando com uma música quente e de pegada urgente, irresistível, pronta para plateias iniciadas e iniciantes. É então bom olhar para o que está fazendo o saxofonista Marcelo Monteiro (foto). Sem amparar-se no ultrapassado virtuosismo de perfumaria (aquele em que o cara parece esmerilhar, mas só está repetindo frases feitas), Marcelo leva seus temas de jazz, funk e ritmos brasileiros com uma tranquilidade envolvente, sempre guiado por aquilo que interessa: a melodia. Tem ao seu redor uma formação acústica de baixo (Daniel Amorim) e bateria (Mauricio Caetano). Que venham em bando. / J.MARIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.