Inédito de João Ubaldo será vendido na Internet

O novo livro de João Ubaldo Ribeiro, Misérias e Grandezas do Amor de Benedita, será vendido na Internet, numa associação da Editora Nova Fronteira com a livraria virtual Submarino www.submarino.com.br. Será um pequeno romance, que no formato convencional teria cerca de 90 páginas, sobre uma senhora da Ilha de Itaparica, a maior do litoral baiano, e as traições de seu marido. Pela internet, o leitor paga com o cartão de crédito e recebe o arquivo no seu computador. Só dentro de um ano, o romance será editado em livro."Não sei o que acontecerá com essa história porque o livro digital ou virtual, como gostam de dizer, tem futuro incerto, ninguém sabe se será um fracasso, um modismo passageiro ou uma mudança no mercado editorial", comentou ontem o escritor. "Não gosto de ler na tela do computador, mas recusar essa proposta seria o mesmo que um escritor do tempo de Guttenberg exigir que sua obra só saísse em papiro e não em livro, a novidade daquela época." O editor da Nova Fronteira, Carlos Augusto Lacerda, chamou Ubaldo para escrever o primeiro livro virtual da editora por ser ele o maior vendedor da casa e o mais aberto às novas tecnologias. Mas o escritor não mudou sua forma de trabalho em função da encomenda. "Fiz como os outros livros, em que tinha uma idéia como ponto de partida e ia escrevendo sem planejamento anterior", contou."Quanto a ser uma encomenda, todo escritor trabalha muito melhor se sabe, de antemão, que vai ser bem pago." Lacerda não disse qual foi o contrato assinado com Ubaldo. Explicou que, como esse lançamento é uma experiência, pode não se repetir nos próximos, que ainda não estão previstos. "Os livros de referência e os para-didáticos, como os dele são os mais próprios para a Internet", disse ele. "O preço é menor que de um livro normal porque etapas como impressão e distribuição são eliminadas." As Misérias e Grandezas do Amor de Benedita começa quando o marido dela, Deoquinha Jegue Ruço, morre na cama de uma prostituta. Ele tinha 17 filhos com a mulher e algumas dezenas com outras mulheres. Há um narrador, que não é ligado à família do morto, mas muito envolvido com a vida de Itaparica. A ação retroage para contar o romance da protagonista, mas o autor não quis contar o desenlace que, na verdade, seria o início da história. "Seria um contracenso porque a maioria dos leitores detesta que lhes contem o fim", advertiu Ubaldo.Segundo o presidente da Submarino, Murilo Tavares, este é o primeiro livro virtual de seu acervo e a previsão de venda é de cem mil exemplares, para um universo de 4,5 milhões de internautas brasileiros. João Ubaldo prefere não fazer previsões. "Ninguém sabe o que vai vender ou não", explicou. "Mesmo nos Estados Unidos, os especialistas em dizer o que o público vai querer erram." Cinema - Ao mesmo tempo em que escrevia o novo livro, João Ubaldo deixou de lado o roteiro para o próximo filme de Cacá Diegue, baseado em seu conto O Santo que não Acreditava em Deus, que já virou um especial da TV Globo. Ele também teve seu romance Sargento Getúlio transformado em filme, mas agora prefere só se dedicar a sua coluna semanal no Estado e não acompanhar de perto a adatpação. "Num livro, o leitor imagina os persoangens e os cenários descritos, enquanto no cinema eles estão na tela e podem não corresponder ao que cada pessoa criou para si", conclui ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.