Indústria do entretenimento nos EUA sofre com atentados

O show parou. O mundo do show business americano, tanto em Manhattan quanto em Hollywood, sofreu as conseqüências dos ataques terroristas ao World Trade Center. A população só tem olhos para a TV, na qual a maioria das emissoras mantêm transmissões ininterruptas desde às 9 horas de terça-feira. Os ataques terroristas às Torres Gêmeas, em Manhattan, e ao Pentágono, em Washington, D.C., fizeram história na TV mundial. Milhões de pessoas em todo o mundo acompanharam os eventos ao vivo. Nos Estados Unidos, até mesmo emissoras como a MTV e a TNT pararam de mostrar sua programação normal e passaram a transmitir o sinal de outros canais, como a CNN. A ESPN exibia imagens da ABC, o VH1 transmitia a CBS.Ainda não há números sobre a audiência das TVs americanas, mas a tragédia deve entrar para a história como o evento mais assistido de todos os tempos. Não houve competição por audiência, no entanto. Há informações de que as emissoras dividiam suas imagens. A sugestão teria sido de Don Hewitt, criador do popular programa de notícias 60 Minutes, da CBS.O desabamento dos edifícios, que eram os mais altos de Nova York, trouxe problemas para alguns canais. A emissora ABC, transmitida pelo canal 7 na região de Nova York, perdeu sua antena, que ficava no topo da torre norte do complexo. A CBS também. Apenas quem tem TV a cabo conseguiu acompanhar a programação dos canais, alguns dos principais da área. Não há informações de quantos nova-iorquinos ficaram sem poder assistir à TV. Nos Estados Unidos em geral, dois terços da população têm TV a cabo.O jornal Wall Street Journal teve evacuada sua redação, a quatro quadras do World Trade Center. Repórteres trabalharam de suas casas e de um centro técnico organizado às pressas em New Jersey. Na Internet, o tráfego foi tão intenso que a velocidade de conexão diminuiu sensivelmente em todo o mundo. A página de procura Google, por exemplo, pedia a seus usuários que deixassem a Internet de lado e procurassem informações no rádio e na TV.A 53ª edição do Emmy, o prêmio mais importante da TV americana, foi adiada para uma data a ser definida. A cerimônia estava marcada para este domingo, em Los Angeles. Segundo Jim Chabin, presidente da Academy of Television Arts and Sciences, a nova data vai ser anunciada apenas depois que seja determinada ?a extensão da tragédia? e que acabe ?o luto nacional?.O estúdio Touchstone Pictures, braço do grupo Walt Disney, cancelou o lançamento do filme Big Trouble, uma comédia estrelada por Tim Allen. A produção, marcada inicialmente para chegar aos cinemas no dia 21, tem uma cena de uma bomba em um avião. Na fita de humor, a tragédia é evitada. O estúdio Sony Pictures, por sua vez, retirou dos cinemas um trailer de Homem-Aranha, estrelado por Tobey Maguire, que tem uma cena filmada no World Trade Center. No trailer, ladrões que fogem em um helicóptero ficam presos em uma teia de aranha gigante colocada entre as duas torres gêmeas. A seqüência não está no filme, apenas no trailer, que estreou em julho nas telas e na Internet. Como era esperado, a segunda edição do Grammy Latino não foi realizada ontem em Los Angeles. Ontem à tarde funcionários já tinham desmontado o palco do evento, que seria realizado no subúrbio de Inglewood. A cerimônia não vai ser remarcada para outra data. Em Hollywood, estúdios de cinema como Paramount, Sony Pictures e Warner Bros. ficaram fechados o dia inteiro ontem, tanto para tours quanto para filmagens e gravações de programas de TV. Os parques temáticos da Disneyworld e da Disneyland, na Flórida e na Califórnia, também foram fechados. Apenas os hotéis dos complexos turísticos permaneceram abertos para acomodar os passageiros que tiveram seus vôos cancelados.Todos os shows da Broadway estão cancelados até segunda ordem, de acordo com Jed Bernstein, presidente da League of American Theaters and Producers. O show de Madonna em Los Angeles, o último da turnê Drowned World, seria ontem, mas foi cancelado. Não foi marcada uma nova data para a apresentação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.