Incêndio danifica 20% do acervo de biblioteca alemã

O incêndio que atingiu a histórica biblioteca Duquesa Anna Amalia, de Weimar, no começo do mês, destruiu o dobro do número de livros estimado inicialmente. De acordo com autoridades locais, cerca de 50 mil obras sofreram danos irreparáveis pelo fogo. O incêndio, que aconteceu em 2 de setembro, avançou pelo telhado e pela cobertura do palácio construído no século 16 em estilo rococó, onde fica a biblioteca, destruindo obras clássicas dos séculos 16, 17 e 18. Weimar foi a cidade onde o escritor mais reconhecido da Alemanha, Johann Wolfgang Von Goethe, passou a maior parte de sua vida. "Os danos foram muito maiores do que tínhamos avaliado na noite do incêndio" disse o presidente da fundação que mantém a biblioteca, Helmut Seeman. Além dos livros perdidos, Seeman afirmou que outros 62 mil foram danificados, cerca de 20% do acervo da biblioteca. A restauração destas obras está estimada em cerca de ? 60 milhões e levará cerca de sete anos. De acordo com o diretor da biblioteca, Michael Knoche, uma lista com as obras destruídas pelo incêndio será disponibilizada ao público na internet. Também foram destruídas 37 pinturas do acervo, incluindo um retrato de Anna Amalia, pintado em 1760 por Johhan Friederich Loeber. De acordo com as autoridades, outras 100 pinturas, 80 esculturas e 20 desenhos ficaram danificados no incêndio. A causa do incêndio ainda está sendo investigada pela polícia, embora no início deste mês um problema na fiação elétrica tenha sido apontado como a causa mais provável.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.