Marco Sissa/Divulgação
Marco Sissa/Divulgação

'In On It' brilha na festa do Prêmio Shell de Teatro, no Rio

Enrique Diaz, o diretor, também levou o seu troféu, o que fez da peça a maior ganhadora da noite

Roberta Pennafort - O Estado de S. Paulo,

06 de abril de 2010 | 14h01

Numa noite de temporal e caos no Rio, foram anunciados os ganhadores do Prêmio Shell de Teatro, referente às peças que estrearam no Rio no ano passado. Com o monólogo em que encarna, de maneira comovente, a escritora Clarice Lispector, a atriz Beth Goulart venceu concorrentes de peso, como Marília Pêra (por "Gloriosa") e Cristina Pereira ("A Tartaruga de Darwin"). Fernando Eiras, ator da impactante "In On It", também saiu vencedor do Jockey Clube do Rio, onde a cerimônia foi realizada. São duas atuações que já haviam merecido destaque dos críticos e afagos do público. Enrique Diaz, o diretor de "In On It", também levou o seu troféu, o que fez da peça a maior ganhadora da noite.

 

Os outros seis prêmios ficaram com Gustavo Gasparani e Eduardo Rieche, autores da comédia musical "Oui Oui... A França é Aqui"; Tim Rescala, pela direção musical e arranjos de "Miranda por Miranda"; Alberto Renault, pelo cenário de "Dois Irmãos"; Rodrigo Cohen, pelo figurino de "Farsa da Boa Preguiça"; Paulo César Medeiros, pela iluminação de "Avenida Q"; Claudio Botelho, pela versão das letras em inglês do mesmo musical (esta foi uma categoria especial).

 

Rei dos musicais, com o parceiro Charles Möeller, Botelho - que já fora premiado anteriormente por sua contribuição ao teatro - ficou contrariado pelo fato de os três espetáculos realizados ou vertidos para o português por ele, "Avenida Q", "O Despertar da Primavera" e "Gloriosa", que tiveram, no total, doze indicações, terem conseguido apenas dois troféus. Deixou isso claro ao dizer: "Parece que as pessoas não acham nossos espetáculos tão expressivos."

 

Por causa do temporal, que alagou boa parte da cidade, fechou aeroportos e deixou cariocas ilhados, muita gente não conseguiu chegar ao Jockey. Quem foi viu a bonita homenagem feita à atriz Eva Todor (o Shell todo ano presta um tributo a um veterano do teatro; já foram lembradas as atrizes Ida Gomes e Tônia Carrero, entre outros nomes). Aos 89 anos, Eva vem enfrentando problemas de saúde, mas mostrou-se disposta - e, premiada aos 76 anos carreira, muito emocionada, naturalmente. "Este é um reconhecimento que resume uma vida inteira de compensações", comemorou.

 

O Prêmio Shell é entregue desde 1989 aos melhores do teatro brasileiro. Desta vez, o júri foi formado por Fabiana Valor (atriz e bailarina), Jorginho de Carvalho (iluminador), João Madeira (diretor do grupo Afroreggae, Sérgio Fonta (dramaturgo, diretor e ator) e Tânia Brandão (pesquisadora e professora). Além do troféu, os agraciados recebem R$ 8 mil. Ainda este mês, serão entregues os troféus referentes às peças em cartaz em 2009 em São Paulo. "Memória da Cana", dirigida por Netwon Moreno, lidera o páreo, disputando em quatro categorias.

 

Mais conteúdo sobre:
Prêmio Shell Rio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.