Imbatível aventura de Hitchcock

A Menina e o Porquinho

UBIRATAN BRASIL, O Estado de S.Paulo

30 de maio de 2012 | 03h08

15H50 NA GLOBO

(Charlotte's Web). EUA, Alemã, 2006. Direção de Gary Winick, com Dakota Fanning, Kevin Anderson, Louis Corbett, Julian O'Donnell, Robyn Arthur, Siobhan Fallon.

Antes de mais nada, é conveniente avisar que o porquinho do título mantém uma amizade mais com uma aranha do que com uma menina. Adaptada do livro de E. B. White, conta a história de Wilbur, o porquinho condenado à morte logo no nascimento - é que ele é o 11º filho e sua mãe só tem dez tetas para alimentar a prole. Ele é salvo do machado pela menina que convence o pai a deixá-lo como porquinho de estimação. O filme de Gary Winick - que já dirigiu o interessante Um Jovem Sedutor sobre um adolescente que se enamora da madrasta - trata de temas caros à formação da criança, como amizade, dedicação, inteligência. Mas também trata da perda, normalmente considerado tabu pelos pais. Afinal, Wilbur, se escapou do machado quando filhote, está condenado a virar torresmo quando adulto e é salvo novamente graças à ação de outro ser - dessa vez, da aranha Charlotte, que tecerá a rede que vai resgatá-lo. Um filme bem-intencionado, que prende a atenção. Reprise, colorido, 113 min.

Busca Implacável

23H05 NA GLOBO

(Taken). EUA, 2008. Direção de Pierre Morel, com Liam Neeson, Maggie Grace, Leland Orser, Jon Gries, David Warshofsky, Holly Valance.

Ex-agente do governo, especializado em operações secretas, concorda, mesmo contra sua vontade, que sua filha viaje para Paris com uma amiga. Logo após a chegada, ela e a amiga desaparecem, e os sequestradores vão descobrir que mexeram com o cara errado. Aventura que segura a atenção, graças ao elenco competente. Reprise, colorido, 93 min.

O Sol

22 H NA CULTURA

(Solnze). Rússia, 2005. Direção de Aleksandr Sokurov, com Issey Ogata, Robert Dawson, Kaori Momoi, Shiri Samo.

O diretor russo Alexander Sokurov, um dos melhores cineastas da atualidade, dedicou uma tetralogia às figuras do poder - os dois primeiros filmes, Moloch (Hitler) e Taurus (Lenin), já foram lançados em DVD no Brasil, assim como o terceiro, O Sol, que trata do imperador Hirohito (o quarto longa, Fausto, ainda aguarda estreia nos cinemas do País), no horário reservado à Mostra de Cinema de São Paulo. Em todos, Sokurov oferece uma visão sombria e, ao mesmo tempo, humana de cidadãos que decidiram o destino de milhares de pessoas. Apesar do título, O Sol é um filme nebuloso e se refere não ao principal astro da Via Láctea mas ao imperador do Japão, adorado como uma divindade. A trama se concentra em um breve período, no fim da 2ª Guerra Mundial, em que ele é pressionado pelas forças norte-americanas de ocupação para renunciar ao seu status divino. E, assim como fez com Hitler e Lenin, Sokurov apresenta Hirohito como uma figura patética, com reações despropositadas e infantis. Na verdade, um homem frágil diante da arrogância dos vencedores. Imperdível. Inédito, colorido, 110 min.

The Rock - O Justiceiro

23H45 NA RECORD

(Walking Tall). EUA, 2004. Direção de Kevin Bray, com The Rock, Johnny Knoxville, Neal McDonough, Kristen Wilson, Ashley Scott, Khleo Thomas, John Beasley.

Ex-membro das Forças Americanas é eleito xerife de sua cidade e, ao lado de um velho amigo, tenta acabar com os criminosos do local. Remake de Fibra de Valente, de Phil Karlson, de 1973, mas agora com uma dose superlativa de violência. Atente para a cena final, se tiver estômago. Reprise, colorido, 74 min.

TV PAGA

Intriga Internacional

16H40 NO TCM

(North by Northwest). EUA, 1959. Direção de Alfred Hitchcock, com Cary Grant, Eva Marie Saint, James Mason, Jessie Royce-Landis, Leo G. Carroll, Martin Landau.

Publicitário é confundido com espião e vira alvo de uma caçada humana. James Stewart queria o papel que Cary Grant cria genialmente. Novamente, Hitchcock conta com maestria a história das agruras do homem errado, aquele que está no local errado e no momento errado. Ação, humor, suspense e grandes cenas - o ataque do avião na estrada deserta em pleno dia, o desfecho no Monte Rushmore, entre as caras esculpidas dos presidentes dos EUA, a simulação de sexo entre Grant e a bela Eva Marie Saint. Não bastasse isso, a trilha sonora de Bernard Herrmann e a abertura plástica de Saul Bass. Em sua habitual aparição, Hitch surge de forma cômica, quando as portas de um ônibus se fecham na sua cara. Um clássico. Reprise, colorido, 131 min.

O Último Concerto de Rock

19H45 NO TELECINE CULT

(The Last Waltz). EUA 1976. Direção de Martin Scorsese.

Documentário sobre a despedida do lendário grupo folk The Band, banda canadense que se despediu após 16 anos de estrada. No palco, nomes famosos como Van Morrison, Neil Young, Muddy Waters e Bob Dylan. Martin Scorsese comprovou que se sente tão à vontade com o rock como quando trata de assuntos espinhosos, como a Máfia - ele voltou ao tema anos depois com Bob Dylan - No Direction Home, além de participar de uma série sobre o jazz. Reprise, colorido, 17 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.