Divulgação
Divulgação

Imagens e criadores

Com 25 galerias e 250 obras, começa a SP-Arte/Foto 2013

Simonetta Persichetti, Especial para O Estado de S.Paulo

20 de agosto de 2013 | 11h33

A 7.ª edição da SP-Arte/Foto deixa claro que a ideia da fotografia como produto artístico já está consolidada e inserida, de forma definitiva, dentro de um mercado de colecionadores e investidores: “Cada vez mais, há um público interessado, o mercado tem crescido bastante”, diz Fernanda Feitosa, organizadora do evento. “Temos de descobrir formas de escoar a produção jovem no País e isso só pode existir se for estimulado o colecionismo público e privado”, reflete.

A hora é de comemoração, reconhecimento e reflexão. São 25 galerias nacionais no Shopping JK Iguatemi, permitindo que o público tenha contato com obras de artistas jovens e também consagrados, tanto brasileiros como internacionais.

A feira, sem dúvida, se tornou referência se quisermos entender o que o mercado está consumindo e como a contemporaneidade se comporta diante dessa não tão nova demanda: a venda de fotografia nas galerias de arte.

Cerca de 250 obras serão expostas nos cinco dias de evento. Trabalhos de artistas conceituados, como Miguel Rio Branco, Gaspar Gasparian, Cristiano Mascaro, Sebastião Salgado, Damien Hirst e Julian Opie, serão mostrados ao lado de obras de nomes que começam a se projetar, como Sheila Oliveira, Claudia Melli e Juliana Stein.

Neste ano, além dos habituais que já participam desde o início da mostra, em 2007, estreiam novas galerias que só vêm acrescentar para se entender a produção contemporânea, como a Casa da Luz Vermelha, de Brasília, Kamara Kó, de Belém, Eduardo Fernandes e Jaqueline Martins, de São Paulo, e a Tempo, do Rio, que nos ajudam a mapear a produção brasileira e também a internacional.

Como escreve a diretora da SP-Arte/Foto, Fernanda Feitosa, no catálogo: “Pelos espaços do evento circulam críticos, curadores, galeristas, colecionadores, artistas e público, estando todos convidados a dialogar e a aproveitar esse momento de intenso contato e fruição”.

Um dos destaques é a exposição Paulo, José e Ademar – 3 Modernos, cuidadosa seleção de imagens vintages dos anos 1950-60, com curadoria de Isabel Amado e Iatã Cannabrava. Para ficarmos na mesma época e estética, a Luciana Brito Galeria traz trabalhos dos também modernos Gaspar Gasparian, Thomaz Farkas e Geraldo de Barros. Assim como, ainda na modernidade, vamos encontrar registros de Marcel Gautherot e Pierre Verger, trazidos pela pequena Galeria 18: “Estamos percebendo uma redescoberta desses artistas modernistas. Suas imagens têm despertado interesse. Uma volta à modernidade”, comenta Fernanda Feitosa.

Já a Fotospot Galeria, dos fotógrafos Lucas Lenci e Cássio Vasconcellos, que só representava e trabalhava com profissionais brasileiros, apresenta o artista internacional holandês Hans Eijkelboom, que esteve presente na última bienal de São Paulo (2012) e fotografa em diversas partes do mundo pessoas que se vestem de maneira idêntica. Uma crítica ao mundo globalizado.

A Fass Galeria, que mantém seu perfil clássico da fotografia, apresenta imagens do famoso retratista norte-americano Arnold Newmann, da também retratista argentina do começo do século 20 Annemarie Heinrich, e do peruano Martin Chambi, considerado o primeiro fotógrafo indígena.

De Belém, a Kamara Kó exibe, entre outros, o fantástico olhar de Miguel Chikaoka, a delicadeza na construção de encontros captados por Alexandre Sequeira, além das experimentações de Alberto Bitar. Já a Casa da Luz Vermelha, de Brasília, nos premia com as incríveis imagens do fotojornalista Anderson Schneider. Isso só para citar alguns exemplos das múltiplas possibilidades que se misturam nessa exposição.

Nesta edição, também fica explícita a preocupação com a formação de um novo público, sintonizado com as artes, que consiga fazer uma leitura crítica do que está sendo exposto. Para isso, foram organizados paralelamente vários eventos e palestras. A programação cultural contará com debates na Livraria da Vila: “Essas palestras são uma forma importante de criar uma ponte entre a imagem e o criador, refletir sobre a informação que está sendo mostrada”, ressalta Feitosa.

Esses bate-papos, abertos ao público, contarão com a presença de nomes como Antonio Gonçalves Filho, jornalista e crítico do Estado, que conversa com a Cia de Foto, na quinta. Na sexta, a revista Select promove encontro entre o artista Lucas Bambozzi e Giselle Beiguelman; Sérgio Burgi e Ricardo Albuquerque discutem a obra do fotógrafo Chico Albuquerque e lançam livro do artista, também na sexta; e a Zum, no sábado, oferece palestra com o pesquisador norte-americano Leo Rubinfien, especializado na obra de Garry Winogrand, que foi destaque na última edição da revista.

Entre olhares, palestras e diálogos, uma maneira de tentar compreender o que é a fotografia contemporânea e como o mercado a está absorvendo.

SP-ARTE/FOTO

Shopping JK Iguatemi.

Avenida Presidente Juscelino Kubitschek, 2.041, Vila Olímpia. De 5ª a dom., 14 h às 20 h. Grátis.

De 22 a 25/8. Abertura quarta-feira, das 15 h às 22 h, para convidados

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.