Imagens de Sant´Ana em mostra na Pinacoteca

A exposição Sant´Ana - Coleção Angela Gutierrez, em cartaz na Pinacoteca do Estado, é mais do que a reunião de belos exemplos de arte sacra brasileira. Ao apresentar 200 imagens da santa, realizadas entre os séculos 17 e 19 em diferentes regiões do País, a mostra é uma oportunidade única de contemplar como são variadas e múltiplas as visões dadas pela arte popular para um mesmo tema. Muitos são os especialistas que louvam essa possibilidade criada pela coleção temática de Angela Gutierrez de cotejar uma diversidade tão vasta de imagens com um único e mesmo tema: a mãe da mãe de Jesus. A mostra também traz à tona a importância preponderante da figura de Sant´Ana na história devocional brasileira. Esposa de São Joaquim, mãe da Virgem Maria e avó de Jesus Cristo, Ana acabou tornando-se uma imagem fortemente presente nos lares brasileiros, um símbolo moral e um recurso nas horas difíceis. Como afirma o curador da exposição, Ângelo Oswaldo de Araújo Santos, ela tem um papel de apaziguamento social, de pacificação dos ânimos e se torna uma espécie de mito feminino da grande mãe, próxima da figura da grande matriarca presente em todas as civilizações. "Sólida e veneranda, sua figura de matriarca torna-se onipresente na vida dos mineiros dos Setecentos. Habita igrejas-matrizes, capelas e oratórios, dá nome a cidades e aldeias, denomina fazendas fabulosas, batiza milhares de crianças", resume ele. O fascínio da colecionadora Angela Gutierrez pelas imagens de Sant´Ana vem de longa data. Na verdade, essa coleção foi iniciada pelo seu pai, Flávio Gutierrez, que por sua vez tomou gosto pelo colecionismo por meio do convívio com o tio, Plácido Gutierrez, que, segundo Araújo Santos, foi um grande colecionador nos anos 30 e 40. Seguindo a tradição familiar, Angela segue garimpando pequenas preciosidades lá onde uma visão tosca e fascinada pelas modernidades vê apenas velharias. O curador, que já foi secretário de Cultura de Minas e prefeito de Ouro Preto, resolveu lembrar essa devoção ao colecionismo.Na seleção das peças não é privilegiada a autoria dos trabalhos, até porque as pesquisas neste campo ainda são relativamente difíceis e a autoria da grande maioria é desconhecida. Um dos grandes mestres representados na coleção, por exemplo, é Mestre Piranga, um excepcional artesão mineiro cuja identidade ainda é ignorada. Em meio a algumas peças identificadas como sendo do mestre de Piranga, do mestre do Bolo de Noiva (nome pejorativo dado a artista paulista por seu grande rebuscamento) ou a Vieira Cervas, predomina o trabalho anônimo, devotado, de dezenas de artesãos que ajudaram a fortalecer a presença de Ana não apenas nos altares, mas na intimidade das famílias coloniais brasileiras.Sant´Ana. Coleção Angela Gutierrez - Pinacoteca do Estado: Praça da Luz, 2, tel. 229-9844. De terça a domingo, das 10h às 17h30. De R$ 2 a R$ 4. Grátis aos sábados. Até 3 de agosto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.