Imagens da formação de SP, em livro e mostra

Uma parte do rico acervo do Instituto MoreiraSalles, que reúne mais de 150 mil imagens, poderá ser vista na Galeria doSesi, na Avenida Paulista. Trata-se da exposição São Paulo, 450Anos - A Imagem e a Memória da Cidade no Acervo do InstitutoMoreira Salles, que será inaugurada hoje, para convidados.A exposição apresenta um material datado desde 1850 -trabalhos de Militão Augusto de Azevedo (1837-1905)representando uma São Paulo provinciana, com chão de pedras eterra ainda - até os anos 2000, como as imagens de CristianoMascaro, Gal Oppido, Cássio Vasconcellos e Rômulo Fialdini.Imagens de uma tourada que ocorreu em 1902, naPraça da República. Dois anos antes, houve a inauguração dosbondes elétricos, na Alameda Barão de Limeira. Em 1924, aRevolução de Julho deixou casas destruídas por bombas, soldadoslegalistas carregavam peças de artilharia em plena cidade de SãoPaulo. Respectivamente, são descrições de fotografias realizadaspor Edgard Egydio de Souza, Guilherme Gaensly, Gustavo Prugner eA. de Barros Lobo. Além da exposição, o Instituto Moreira Salles lançaamanhã o Cadernos de Fotografia Brasileira, uma edição feitaespecialmente sobre os 450 anos de São Paulo e esse acervo. Alémde imagens, o livro, que será vendido por R$ 120, traz textosassinados por especialistas na história da cidade e emfotografia brasileira e fotógrafos, nomes como Nicolau Sevcenko,Roberto Pompeu de Toledo, Ricardo Mendes, Sergio Burgi, BeneditoLima de Toledo, Thomaz Farkas, Dulce Soares, Mascaro eVasconcellos, e ainda uma cronologia ilustrada com os principaisacontecimentos que marcaram São Paulo. Por meio da coleção, há o caminho da constituição deSão Paulo desde o século 19. Nas fotografias da mostra, inevitável também nãoestar toda essa história. Nas primeiras imagens do cariocaMilitão de Azevedo estão as Ruas Direita e da Quitanda, e aindaa Avenida Rangel Pestana, com cavalos e carroças. E os anos 1800também estão representados pelos registros de Marc Ferrez - háuma bela imagem do Largo da Sé, de 1880; as mudançasarquitetônicas nas lentes de Doumet; retratos de personagens(imigrantes, meninos jogando bola de gude, uma conversa no bancoda praça), cidadãos do início do século 20, pelo italianoVicenzo Pastore - há muitos trabalhos de estrangeiros que nacidade estiveram como o etnólogo francês Claude Lévi-Strauss; háobras de autores anônimos; imagens delicadas de Alice Brill; háBoris Kossoy e Hildegard Rosenthal. Alguns exemplos, porque osnomes não param por aqui... Está na coleção e na mostra uma cidade década a década,em maior quantidade, descrita em preto-e-branco, mas que tambémse parece, por meio da fotografia, com uma pintura - a Praça daBandeira, em 2000, nas lentes de Vasconcellos. Por meio dessepercurso, São Paulo, "cosmopolita e caótica", repleta delembranças e, agora, de edifícios.São Paulo, 450 Anos - A Imagem e a Memória da Cidade do Acervono Instituto Moreira Salles. De terça a sábado, das 10 às 20horas; domingo, das 10 às 19 horas. Galeria de Arte do Sesi.Avenida Paulista, 1.313, tel. (11) 3146-7405. Até 27/6. Aberturaamanhã, a partir das 19 horas, para convidados, com lançamentodo livro "Cadernos de Fotografia Brasileira"

Agencia Estado,

22 de janeiro de 2004 | 16h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.