"Ilha Rá-Tim-Bum" es[ecial de Natal

Na véspera de Natal, às 19 horas, aTV Cultura antecipará sua principal atração do ano que vem, numespecial de 50 minutos sobre a série Ilha Rá-Tim-Bum. Seráuma pequena amostra do que a série reserva ao públicoinfanto-juvenil, incluindo cenas do programa, making of,apresentação dos personagens, entrevista com os atores, osdiretores Fernando Gomes e Maísa Zakzu e o roteirista Flávio deSouza. O especial também vai ao ar nos dias 25 e 1.º de janeiro,às 13 horas. Co-produção da emissora com a Fundação Bradesco, "IlhaRá-Tim-Bum não apresenta ligações com as duas primeiras sériesda trilogia, Rá-Tim-Bum e Castelo Rá-Tim-Bum - excetopela temática fantasiosa, voltada especialmente para ascrianças. Ao longo de 52 episódios, o público acompanhará asdesventuras de cinco jovens, que desembocaram acidentalmentenuma misteriosa ilha. Lá, eles vão se deparar com seresestranhos, como o maléfico Nefasto, interpretado por ErnaniMoraes. O ator deverá ser um dos destaques da nova série, porencarnar com perfeição o grande vilão da história. O vozeirãoinconfundível e o talento de Moraes, aliados a uma maquiagemimpecável, são de assustar até os mais crescidinhos. "Eu realizei um estudo do personagem, assisti a filmesno vídeo, estou fazendo aulas de voz", enumera o ator. Eledescreve Nefasto como um ser sui generis, um misto de JerryLewis, O Máskara (interpretado no cinema por Jim Carrey) e ovampiro Nosferato. "Trata-se de um personagem fechado, masestou me deixando levar pela história, estou aberto amodificações." Para a atriz Graziella Moretto dar vida ao papel deHipácia, ela se debruçou sobre livros de história atrás desubsídios para compor a sábia personagem. "Hipácia erabibliotecária em Alexandria, no ano de 370 d.C.", detalha aatriz. Ao contrário do fim trágico que a Hipácia real encontrou,a personagem de Graziella teve melhor destino na série: ela fogede Alexandria e busca refúgio na Ilha Rá-Tim-Bum. "Na ilha,ela aprende magias naturais e estabelece forte vínculo com anatureza." Temas como solidariedade e educação ambiental permeiam oenredo. "Mas passamos isso sem sermos chatos, pois a criançanão quer chegar em casa e ver na TV os mesmos assuntos abordadosem sala de aula", ressalta o criador e roteirista da série,Flávio de Souza. Da mente criativa de Flávio, ´brotaram´ os doisepisódios anteriores da trilogia Rá-Tim-Bum, além de outrosprogramas infantis da TV Cultura, como Catavento e Mundoda Lua. "A expectativa em torno da série é grande, depois dosucesso e das premiações do Castelo Rá-Tim-Bum." O presidente da Fundação Padre Anchieta, Jorge da CunhaLima, revela que o projeto dependia de dinheiro e tecnologiaadequada para sair do papel. "A TV Cultura tem de ser umaalternativa, pois os atuais programas de tevê não estão sendoditados pelo valor", completa. De acordo com Cunha, asuperprodução Ilha Rá-Tim-Bum e o jornalismo públicoencabeçarão as atrações do canal no próximo ano. A sérieinfantil deve estrear no primeiro semestre de 2002. Curiosidade:os cantores Pedro Mariano, Fernanda Takai (do Pato Fu) e Bukassaemprestarão suas vozes para os bonecos Rá, Tim e Bum,responsáveis pela narração das aventuras na ilha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.