Igreja russa veta García Márquez

O padre Vsevolod Chaplin, chefe de Relações públicas da Igreja Ortodoxa Russa em Moscou, cobrou das autoridades a investigação e proibição de obras de Gabriel García Márquez e Vladimir Nabokov nas escolas do país. Durante o pronunciamento, feito pela rádio Ekho Moskovy, o padre analisou a temática de Cem Anos de Solidão, do autor colombiano, e Lolita, do escritor russo. De acordo com Chaplin, as obras justificam a pedofilia, por darem uma aura romântica a "paixões pervertidas". "A popularização desses livros nas escolas evidentemente não fará a nossa sociedade moralmente mais feliz", declarou ainda o religioso. / AP

O Estado de S.Paulo

29 de setembro de 2011 | 03h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.