Helvio Romero/ Estadão - 7/5/2013
Helvio Romero/ Estadão - 7/5/2013

Idosos dentro de casa, veja dicas de filme, série, fotos e como se manter sadio e ativo

Moacyr Franco conta histórias e canta para distrair, Drauzio Varella atualiza sobre saúde em tempo de coronavírus e tem as imagens de idosos feitas por fotógrafa portuguesa, entre outras sugestões

Eliana Silva de Souza, O Estado de S.Paulo

25 de março de 2020 | 11h18

Longe das ruas e dos afazeres diários para se prevenir do contágio pelo coronavírus, as pessoas com mais de 60 anos também necessitam de atividades, físicas e culturais, para se manter com saúde. Aqui, algumas dicas de atrações para a diversão de nossos idosos:
 

Em sua conta do Instagram, o ator Moacyr Franco tem sempre uma boa história para contar. Em posts rápidos, não há como não se divertir com seus causos. Entre muitos, tem um em que ele revela que, "em um show num local pequeno no extremo leste da cidade de São Paulo, algo bem pobrezinho, só com um músico, embaixo de uma ladeira. Tinha cerca de mil pessoas e, depois de cantar algumas de minhas canções, contei a história da operação de aneurisma que tive de fazer. Eu coloquei no palco, então, uma senhora. Contei a história a todos e dei o microfone para ela falar alo e ela disse, 'Moacyr eu era a enfermeira quando você fez essa cirurgia'". Mas tem muito mais, vale conferir. 

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Humilde homenagem à coragem dos enfermeiros de agora.

Uma publicação compartilhada por Moacir Franco (@moacyrfranco) em

A Casa do Saber liberou seu serviço on demand para todos os usuários, de forma gratuita, e olha que o aplicativo reúne mais de 120 cursos, com professores brasileiros e estrangeiros. Entre tantos, destaque para o que trata da série espanhola Merlí, com Renato Janine Ribeiro. Produção está na Netflix e vale muito dar uma conferida. Criado por Héctor Lozano, no seriado, Merlí Bergeron (Francesc Orella) é um professor de filosofia, personagem humano, inclusive em seus defeitos, que faz da matéria referência na formação de seus alunos como seres livres e curiosos, acima de tudo. Usando o cotidiano para refletir sobre os mais diversos pensadores.

Na TV Brasil, por exemplo, existe o programa Sou 60, que é direcionado para esse público mais maduro e que precisa de orientações enquanto fica confinado. Com exibição às quartas, às 7h15, tem conteúd variado, como cidadania, saúde, sexualidade, comportamento, tecnologia, mercado de trabalho, roteiros de viagem, para quando for possível, claro, e ainda aquelas pessoas que são exemplos inspiradores. O Sou 60 mostra o avanço da idade de forma aberta, corajosa, com seriedade e otimismo. Estamos vivendo cada vez mais e precisamos nos preparar para aproveitar bem a oportunidade. Viver muito e viver bem: esse é o desafio. Apresentação: Roberta Zampetti

Em suas redes sociais, o médico Drauzio Varella costuma postar vídeos com dicas e informações importantes para que todos possam se manter saudável nesse período de reclusão. Fiquem atentos ao que diz o dr. Drauzio, que enfatiza a importância de se manter em quarentena, pois somos todos vulneráveis ao coronavírus, no entanto, as pessoas com mais idade e com doenças crônicas são mais frágeis.

 

 


Também pelo Instragram, a fotógrafa portuguesa Sandra Ventura exibe imagens captadas pelas ruas de seu país. Ela se esmera em retratar rostos de pessoas idosas, que vivem em asilos, algumas esquecidas pela sociedade. Mas o que se vê nessas imagens são a linha do tempo que marcou esses rostos, rugas que espelham tudo que a pessoa viveu. É algo forte, intenso, que nos faz refletir sobre nossas existências.

 

 


Em streaming ou em canais fechados, a animação Viva - A Vida É Uma Festa é diversão para qualquer idade. Inspirado no feriado mexicano do Dia dos Mortos, conta a história do garotinho Miguel, que vive com vários de seus familiares, inclusive sua avó e bisavó, que está perdendo a memória. Ele é apaixonado por música, proibida na casa por algo que ocorreu no passado. Querendo participar de uma competição, o menino tenta tomar emprestado o violão da tumba de Ernesto de la Vega, famoso cantor que saiu de sua cidade para conquistar o mundo. Algo dá errado, e ele vai parar na Terra dos Mortos, um lugar colorido e vibrante, onde reencontra seus familiares que já passaram desta para melhor. 

Aqui uma série da Netflix. Recente no catálogo da operadora, a minissérie A Vida e a História de Madam C.J. Walker é protagonizado por Octavia Spencer. Em seus quatro episódios, mostra como Madam C.J. Walker, que foi a primeira mulher afro-americana a conquistar fama e fortuna, construiu um verdadeiro império, deixando de lado seu trabalho como lavadeira para se destacar com seu cosmético para cabelos de mulheres negras.

Outro que tenta ajudar a manter a todos em atividade dentro casa é o coreógrafo Ivaldo Bertazzo, que fez um vídeo para que você se mexa e exercite seus pulmões. A ideia dele é fazer com que as pessoas que estão  trancadas em casa não esqueça de manter em formas o físico, o psíquico e também o espiritual. Em seus Instagram, Bertazzo tem sempre alguma curiosidade sobre o corpo humano e a importância de se exercitar. 

 

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
coronavírusfotografiaOctavia Spencer

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.