Icarius faz sucesso na moda em Paris

Três anos depois de deixar a faculdade de moda Santa Marcelina, em São Paulo, o curitibano Icarius de Menezes voltou à instituição para dar uma palestra aos alunos, seus ex-colegas, com status de ídolo. Ao descer do palco em que se apresentou, foi cercado por mãos ansiosas por autógrafos. "Foi muito estranho", conta. "Me senti constrangido." Aos 25 anos de idade, Icarius é um dos estilistas brasileiros mais bem sucedidos no exterior; mora na França há 12 meses, integra a programação oficial do calendário de moda parisiense e exporta suas criações para vários países da Europa, além dos Estados Unidos, Japão, Austrália e Arábia Saudita. Ao chegar ao Brasil no início de abril para duas semanas de férias, o jovem criador acabou se deparando com assédio e muito trabalho. Parcerias para o futuro - Procurado por empresários do setor de moda, negociou duas parcerias. Uma delas, com uma grande confecção de jeans, cujo nome ele não revela ainda em virtude de pendências no acerto; a outra é um acordo com a grife de moda praia Rosa Chá para assinar uma linha a ser comercializada nas lojas da marca em todo o Brasil. Os biquínis e maiôs criados por ele serão incorporados à coleção para o verão que apresentará em outubro em Paris. Apaixonado pelo Brasil e empenhado em incentivar a indústria nacional, Icarius pretende ainda usar em suas novas criações matéria-prima de uma tecelagem brasileira, a Huetelpha. "Cerca de 30% do material será deles", conta. Esse será o terceiro desfile do estilista na França - e por isso o mais aguardado. "É uma tradição, na Europa, encarar o terceiro desfile como a prova de fogo do novo profissional. É como se os dois primeiros fossem mero aquecimento", conta. Icarius não tem com o que se preocupar. Já em sua primeira temporada, seu nome foi bastante aplaudido pela crítica, em virtude de talento mas também de uma feliz coincidência. No mesmo ano em que a grife Dior, uma das principais ditadoras de tendências no mundo, lançou uma coleção inspirada no universo das misses, ele escolheu a imagem da Miss Universo como tema para seu trabalho inaugural. Foi tratado como visionário pela imprensa européia. Estilista que fez escola - Esse não foi o primeiro "pular etapas" na carreira do estilista. No segundo ano de faculdade, Icarius foi convidado a mostrar suas roupas no desfile dos formandos e repetiu o feito nos anos seguintes até chegar à graduação. Sua última coleção criada em sala de aula foi vendida na íntegra para a sofisticada loja Claudete e Deca, onde foi exposta com grifes estrangeiras de peso. Icarius deixou a escola e integrou o cast da Semana de Moda, que destaca novos talentos. Teve três bem sucedidas participações ali. Na primeira foi citado pela revista francesa Depêche Mode como uma das doze promessas da moda no mundo; na segunda foi chamado para a ser estilista da Ellus, onde ficou por um ano, e na terceira foi convidado por Kukid Salvertes, um caça-talentos francês, para ir à Europa e ser apadrinhado por um grande patrocinador belga. A coleção que impressionou Salvertes foi criada poucos meses depois da morte da mãe do estilista, sua eterna musa inspiradora."Eu estava me sentindo tão órfão que precisava me abraçar", conta. "Estampei fotos minhas de bebê nas roupas, mescladas com imagens pornográficas, uma coisa bem pedófila". Resultado: o francês achou aquilo tudo "suuuper vanguarda". E Icarius, antes mesmo de conquistar o Brasil, começou a ganhar o mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.