Ibirapuera poderá abrigar o Museu da Televisão

No dia 18 de setembro, a televisão no Brasil completa cinco décadas de existência. Além de programas alusivos à data como os preparados pela Globo, uma entidade em especial está celebrando a data mais intensamente. É a Appite (Associação dos Pioneiros Profissionais e Incentivadores da Televisão Brasileira), que reúne muitos dos profissionais que participaram da implantação da TV no País. Presidida pela atriz Vida Alves, de 72 anos, a entidade tem como meta principal a criação do Museu da Televisão, algo que deve ser concretizado graças a uma parceria com a Rede Globo. Divulgado há alguns meses, o acerto previa o lançamento da pedra fundamental do museu no dia do aniversário, dia 18, mas por enquanto ainda restam alguns detalhes a serem acertados."Antes, cogitava-se a possibilidade de instalar o museu dentro da sede paulista da Globo, mas agora pode ser que seja dentro do Parque do Ibirapuera", arrisca Vida, lembrando que esses detalhes deverão ser tratados nos próximos dias diretamente com Marluce Dias da Silva, diretora geral da emissora. Vida Alves, que é uma das 50 personalidades a participar do livro 50/50, de José Bonifácio de Oliveira, o Boni, conta que o principal acervo do museu serão as fotos históricas e imagens antigas, reunidas através dos sócios da Appite. "Temos fotos dos primeiros anos da televisão que fazem parte do material que levantamos entre os 300 sócios da Associação".Outro material importante que deverá fazer parte do museu são os depoimentos, com cerca de uma hora de duração, de atores, cantores e demais profissionais que participaram da implantação da televisão no País e hoje fazem parte da história. "Já temos cerca de 130 depoimentos e estamos colhendo outros 100", lembrou Vida, que dividiu com o amigo Walther Forster a fama de ter sido o primeiro casal a protagonizar um beijo diante das câmeras. Exposições - Em São Paulo, a Appite está promovendo alguns eventos em homenagem aos 50 anos da TV. Fazem parte das festividades uma exposição de fotos organizada pelo cenógrafo Cyro Del Nero, a partir do dia 4, no piso térreo do Conjunto Nacional (Avenida Paulista), e a exposição de fotos, roupas e materiais utilizados em produções televisivas das últimas décadas, que deverá ser realizada, a partir do dia 5, no Espaço Cultural da Caixa Econômica Federal. "A maioria das peças foi cedida por Vicente Sesso, que é autor da novela Sangue do Meu Sangue", lembra Vida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.