Ibirapuera abre 4.º Festival do Japão

O Viveiro Manequinho Lopes, no Parque do Ibirapuera, vai transformar-se num pedaço tipicamente oriental, a partir da tarde desta sexta-feira, com a abertura do 4.º Festival do Japão. Até domingo a organização do evento, com entrada gratuita, espera 300 mil visitantes, interessados em conhecer um pouco mais da cultura das 47 províncias japonesas. "A maior parte do público das outras vezes foi de brasileiros" diz o presidente da comissão executiva do festival, Juniti Miyahara. São 4.500 metros quadrados de área e 90 estandes para visitação. O forte da mostra promete ser a culinária. "Vão ser oferecidos pratos muito diferentes dos tradicionalmente servidos nos restaurantes porque cada província trará especialidades", afirma Miyahara. Entre as iguarias está o hotoo, uma sopa à base de legumes, receita dos guerreiros da época feudal. Haverá ainda workshop de origami, exposição de ikebana (arranjos florais), show de percussão de tambores (taiko) e de cantores vindos do Japão. "Teremos até a cerimônia do chá, chadô", adianta o presidente. Os organizadores - 200 voluntários trabalham no evento - prometem muita dança típica, com direito a quimonos coloridos, sombrinhas e leques. Entre as apresentações está o souma bon odori, uma dança com mais de 500 anos, que terá participação de 155 pessoas no domingo, às 12h30. Demonstrações de caratê e de aikidô (arte marcial) também são promessa de distração. O evento ocorre amanhã(27), das 13 horas às 20h30 e sábado e domingo, das 11 às 20 horas. Quem for de carro poderá estacionar na Assembléia Legislativa e a organização oferece serviço de ônibus gratuito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.