Iberê Camargo, em retrospectiva na Pinacoteca

A obra de Iberê Camargo, um dos grandes mestres da pintura brasileira do século 20, finalmente ganha uma retrospectiva a sua altura. Este sábado a Pinacoteca do Estado inaugura a mostra Iberê Camargo: Diante da Pintura que, por meio de quase uma centena de trabalhos de sua autoria, reconstrói a trajetória desse artista, autor de um expressionismo trágico, de um registro terrível da dor e da perplexidade do homem diante do mundo moderno. "O drama, trago-o na alma. A minha pintura, sombria, dramática, suja, corresponde à verdade mais profunda que habita no íntimo de uma burguesia que cobre a miséria do dia-a-dia com o colorido das orgias e da alienação do povo. Não faço mortalha colorida", afirmou certa vez o pintor, que sabia como ninguém resumir em palavras a carga de sofrimento e dor expressa em sua arte. Essa mostra, que tem curadoria do crítico e historiador de arte Paulo Venâncio Filho, é fruto do trabalho desenvolvido pela Fundação Iberê Camargo - que vem fazendo um grande esforço para a preservação e divulgação do trabalho do pintor e que está também por trás da construção do Museu Iberê Camargo em Porto Alegre, cujo projeto é do célebre arquiteto português Álvaro Siza. E depois de São Paulo deverá circular pelo Rio de Janeiro, Salvador e Recife. Serviço - Iberê Camargo. Pinacoteca do Estado (Pça da Luz, 2, Bom Retiro. região central, tel. 229-9844. Ter. a dom.: 10h às 17h30. Abertura 14/6. Até 27/7. Ingr.: R$ 4 (p/estudanes: R$ 2, sáb. grátis). Estac. grátis. Visitas guiadas c/ agendamento

Agencia Estado,

13 de junho de 2003 | 19h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.