Humor ingênuo e violento

Charles Chaplin era lírico. Harold Lloyd, atlético. Buster Keaton, sério. Restava aos Três Patetas arrancar gargalhadas por meio da violência. Eternos perdedores, Moe, Larry e Shemp (depois Curly, depois Joe Besser, depois Curly Joe) tornaram-se célebres por cenas impagáveis, abusando de tapas, socos, pontapés, nariz torcido e cutucões no olho.

Ubiratan Brasil, O Estado de S.Paulo

15 de abril de 2012 | 03h08

Moe Howard era o líder do grupo e irmão de Shemp e do carequinha Curly, disparado o mais engraçado de todos. No começo, o trio era uma dupla - em 1923, os nova-iorquinos Moe e Shemp brilhavam no teatro de vaudeville. Cinco anos depois, conheceram Larry Fine, época em que já ensaiavam estrear no cinema.

Em 1930, Shemp deixou o grupo para cuidar de seus negócios, sendo substituído pelo irmão caçula, Jerome Howard, que adotou o pseudônimo de Curly. O trio tinha como nome artístico The Racketeers (Os Bagunceiros) e fez alguns filmes, sem atrair grande atenção. Mesmo assim, atraiu um dos produtores da Columbia, que decidiu investir em uma série de comédias curtas e amalucadas. Também mudou o nome do grupo para The Three Stooges (Os Três Patetas). Foi o toque de Midas: até 1958, foram quase duzentos episódios, dirigidos por apenas quatro diretores.

Seu humor violento tornou-se referência por conta justamente da ingenuidade - ao invés de assustar, agradava à molecada. Em 1947, aos 44 anos, Curly sofreu um derrame e morreria cinco anos depois. Shemp voltou, mas morreu em 1955, aos 60 anos. Foi substituído por Joe Besser, que não agradou e logo foi substituído por outro gordinho, Joe de Rita, que adotou o nome de Curly Joe. Larry e Moe morreram em 1975.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.