Humor e ironia nos aparatos de Weinfeld e Kogan

Os arquitetos Isay Weinfeld e Marcio Kogan abrem hoje no Museu da Casa Brasileira a exposição Happyland vol. 2 inspirada na violência. A partir dos assustadores dados sobre a violência em São Paulo e no Brasil eles criaram, em 2002, a maquete da cidade utópica Happyland, na 25.ª Bienal, e agora usam de humor e ironia na atual série de 12 aparatos para se viver numa metrópole - chegariam, um dia, a ser imprescindíveis? Um Gradil em que as lanças são trocadas por pistolas; Muro-Móvel que pode variar de altura de acordo com os índices de violência do dia; Kit-Assalto; e até o Carro-Cor: porta-malas decorado para dar conforto às vítimas de seqüestros-relâmpago.Na entrada da exposição haverá um detector de metais pelo qual todos os visitantes terão de passar. Nos visores, os esqueletos das pessoas aparecerão armadas dos pés à cabeça.Happyland vol. 2 - Museu da Casa Brasileira, Av. Brig. Faria Lima, 2.705, tel: 3032-3727. 10h/18h. R$ 4 (grátis aos dom.). Agendamento pelo 3032-2564. Até 14/11. Abertura hoje, às 19h.

Agencia Estado,

19 de outubro de 2004 | 15h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.